Booking.com

 
 
 

Férias na Colômbia: História da Colômbia

Colombia

Período pré – colonial

De acordo com estudos arqueológicos, o atual território colombiano fora, outrora, ocupado por diversos povos Amerindios, que se organizavam socialmente como confederações de tribos, e caracterizavam-se pelo seu alto nível de desenvolvimento.

Entre as diversas tribos existentes como “quimbaya”, “tayrona” ou “tolima, a mais importante foi a muísca, também conhecida como chibcha, ao conformar o grupo mais relevante da família linguística chibcha. Habitando nas altas planícies da Cordilheira Oriental, a tribo muísca ficou célebre pela sua florescente civilização, pela sua riqueza, pela exploração das minas de sal e esmeraldas, e pelas suas amplas rotas comerciais com outras tribos ou grupos, e aquando da chegada dos espanhóis, os muiscas constituíam a cultura mais desenvolvida e ordenada de toda a Colombia.

 

Exploração e conquista espanhola

Alonjo de Ojeda e João da Cosa constituíram as primeiras expedições europeias a avistar terras da futura Colômbia, que em 1499 dobraram o Cabo de La Vela, na península de Guarajira. Dez anos mais tarde, o reconhecimento de toda a costa sul-americana do Caribe ficou ao encargo de Rodrigo de Bastidas, que em 1525 fundou Santa Marta, e de Pedro de Heredia, que em 1533 fundou Cartagena, uma das principais bases marítimas do império espanhol nas Américas. Até ao ano de 1539, já haviam sido conquistadas todas as cidades importantes do interior colombiano, inclusive a cidade de Bogotá.

 

A cidade de Bogotá era o principal núcleo dos reinos chibchas e, após a conquista espanhola, rapidamente assumiu um papel preponderante no desenvolvimento de todo o território colombiano, transformando-se, em 1550, na audiência de Santa Fé de Bogotá, centro administrativo de uma região que abrangia locais como Nova Granada, Popayán, Antioquia, Cartagena, Santa Marta, Riohacha, os llanos de Casanare e San Martín, apesar da forte dependência do vice-reino do Peru. A atribuição a Cartagena do título de cidade baluarte do império espanhol, em 1620 e, em 1740, a dependência de países como a Venezuela, Equador e Panamá do novo Vice-reino de Nova Granada, representou o inicio de uma nova era na história da Colômbia, tendo-se registado um fortalecimento do império, por parte da coroa espanhola, mediante a centralização da administração e o desenvolvimento do comércio.

 

Independência

O antagonismo entre súbditos coloniais e metropolitanos, bem, como as incertezas quanto ao destino do império, após a invasão da Espanha pela França em 1808, iniciaram um período de mais de dez anos de conflitos, sendo que o primeiro registou-se a 20 de Julho de 1810 e o ultimo a 07 de Agosto de 1819, com uma longa guerra pela independência, a Batalha de Boyataca. Entre as Batalhas de Carabobo em 1821 e Pichincha em 1822, o Congresso de Angostura fundou a Republica da Grã-colômbia da qual faziam parte Nova Granada, Venezuela e o Equador, tendo sido este último incorporado posteriormente.

 

Contudo, aquando do regresso de Bolivar, da sua ação no Peru, os seus ideais centralizadores chocaram contra o federalismo de Santander, dando assim inicio a um novo período de atentados e revoltas politicas, que culminaram com a obrigação à renuncia do cargo de Bolivar. Consequentemente, a até então Republica da Grã-colômbia fragmentou-se em três estados independentes: Venezuela, Equador e Republica de Nova Granada, atual Colombia, e no qual estava também incluído o Panamá.

 

O ano de 1849 ficou caracterizado pela formação de dois partidos políticos, o conservador e o liberal e mais uma vez, instala a violência e o país é testemunha de ferozes rivalidades entre os partidos, derivando em 1899 uma sangrenta guerra civil conhecida como a Guerra dos Mil Dias.

 

Das Guerras Civis aos Nossos Dias

 

Depois de um período de relativa paz, em 1948 com o assassinato de Jorge Eliecer Gaitán, um líder liberal, o país mergulha numa nova e terrível guerra civil, entre conservadores e liberais.

 

Depois de alguns anos de confrontos, os líderes dos partidos decidem iniciar um golpe militar como o melhor meio para conservar o poder.

 

O golpe de Estado realizado pelo General Gustavo Rojas Pinilla durou até 1957, quando os dois partidos firmam um pacto, aprovado em plebiscito, com o nome de Frente Nacional, fixando a alternativa do poder cada 4 anos, nos próximos 16 anos. Esta frente terminou em 1974, com a eleição e consequente vitória de Afonso Lopes Michel.

As guerrilhas têm desempenhado um papel importante na história da Colômbia, remontando as suas origens aos anos 40 e 50. De facto, existe uma dezena de guerrilhas, cada uma com sua própria ideologia e estratégia militar. Nos últimos anos tem-se feito esforços para tranquilizar” áreas mais conflituosas, e entre eles, destaca-se a conversão do grupo guerrilheiro M-19 em partido político.

 

No início dos anos 80, o governo iniciou a campanha contra o narcotráfico, dando lugar a uma violência desmedida, começando uma época de atentados dirigidos aos postos militares, políticos e civis. Nos últimos anos a situação melhorou consideravelmente, graças a queda dos cabecilhas dos diferentes cartéis do país.

 
Promoções
 
Hotéis

 

ref-booking-large
 

money-icon

Como poupar nas férias
 
  Iberica360
Voos Baratos
Busca de Voos
flightradar
 
  Paper-Money-icon
Conversor de Moeda
 
 
 
 
 

Excurses

 

 

Online

Temos 51 visitantes e 0 membros em linha

Voos

 

My Hotelbooking