Os melhores destinos para visitar na China

China

Vasta, variada, tradicional e, ao mesmo tempo moderna e dinâmica, a China é um país difícil de igualar por qualquer outro. Os arranha-céus que dominam o horizonte dos principais centros urbanos coexistem harmoniosamente como os vestígios de uma civilização de três mil anos e com os restos da poderosa dinastia Han.

Férias na China

Grande Pagode do Ganso Selvagem

Qualquer que seja o objetivo das suas férias nas China, seja passear pela Cidade Proibida ou explorar as aldeias minoritárias em Yunnan; quer pretenda ficar num hotel luxuoso ou num albergue humilde; desfrutando de um festival barulhento ou jantar no melhor restaurante de dim sum, esperamos que os nossos artigos sobre a China sejam úteis no planeamento da sua viagem de férias à “eterna terra dos dragões”.

China - A grande Muralha da China

Atrações como a Grande Muralha da China, Jokhang de Lhasa, o templo mais sagrado do budismo tibetano, os pandas gigantes, o rio Li, ou os impressionantes pináculos cársticos de Guilin são simplesmente imperdíveis, mas há muito mais motivos de visita que surpreendem e conquistam com relativa facilidade qualquer viajante.

O mais difícil mesmo é visitar a China pela primeira vez, depois irá querer voltar e explorar as diversas regiões deste incrível país asiático ao pormenor.

Diversidade é a palavra que melhor descreve a China - diversidade geográfica, cultural, étnica, culinária e social, a China é uma nação em contante movimento, um país que se desenvolve a um ritmo vertiginoso incomparável na história da humanidade, onde as grandes cidades já estão adicionando subúrbios e arquitetura de ponta diariamente, numa altura em que uma rede cada vez maior de comboios de alta velocidade une praticamente todos os pontos do país. Todo o modernismo e progresso é, no entanto, baseado numa civilização e tradições que permanecem intactas, continuamente reciclando-se, por mais de quatro milénios.

A escrita chinesa alcançou a perfeição durante a dinastia Han (220 aC-220 dC), e os leões de pedra sentinelas do lado de fora de novos e elegantes arranha-céus apareceram pela primeira vez como guardiões do templo há mais de três mil anos. De fato, é a tensão e os contrastes entre mudança e continuidade que tornam a China moderna tão fascinante.

O primeiro pormenor que surpreende e impressiona qualquer visitante é a incrível densidade populacional.

China

Em grande parte da China, vilarejos, vilas e cidades parecem espalhar-se infinitamente ao longo das artérias cinzentas das movimentadas vias. No entanto ao viajar para o extremo sul ou oeste do país a concentração de população vai diminuindo e o cenário muda drasticamente com os arrozais verdes e colinas enevoadas no sudoeste, as vistas épicas e queimadas da antiga Rota da Seda no noroeste e as montanhas magistrais do Tibete.

Embora viajar pelo país seja relativamente fácil e rápido, não é tarefa fácil entrar na China moderna sendo muitas vezes, uma verdadeira aventura pelo desconhecido. Atrações turísticas como a Grande Muralha, a Cidade Proibida, o Exército de Terracota ou os desfiladeiros de Yangzi escasseiam, se considerarmos a vastidão do país.

Grande parte da arquitetura histórica da China foi deliberadamente destruída ao longo do processo de modernização e além disso, não é fácil viajar num país onde poucas pessoas falam inglês, o sistema de escrita é alienígena e os estrangeiros às vezes são vistos como objetos exóticos de intensa curiosidade - embora, no geral, os chineses, apesar da reputação de serem rudes, geralmente são hospitaleiros e amigáveis.

China

 

 

O que visitar na China / Os melhores destinos para visitar numas férias na China

Cidade Proibida

Pequim e Xangai são talvez os dois destinos que mais facilmente vêm à memória de cada um de nós sempre que se fala em fazer uma viagem de férias na China. De facto são duas incríveis metrópoles com imenso para ver e fazer, no entanto existem muito mais destinos deveras interessantes para visitar, com muitas joias escondidas e imensos locais que tornam a viagem de férias na China num momento único e inesquecível.

 

 

Costa leste da China / Férias na Costa Leste da China

Abrangendo as províncias de Shandong, Jiangsu e Zhejiang, a costa leste da China estende-se por quase 2000 quilómetros entre o rio Amarelo e o Yangzi, dois grandiosos rios que tiveram papel fundamental no desenvolvimento cultural e económico da China nos últimos dois mil anos, numa área que permanece nos tempos atuais como uma das potências económicas do país, onde se situa a famosa Xangai, ladeada por Jiangsu e Zhejiang.

A costa leste abriga quase 250 milhões de pessoas o que faz com que seja uma área com uma excelente infraestrutura de transportes com autocarros modernos e confortáveis que ​​circulam pelas muitas vias expressas entre cidades, enquanto a área possui a maior concentração de rotas ferroviárias de alta velocidade do país. No entanto, por mais modernizada que seja a costa leste, com as cidades classificadas entre as mais sofisticadas do país, há muita história visível que poderá aprofundar e explorar ao pormenor enquanto viaja pela região.

 

 

Província de Shandong

A província de Shandong abriga alguns pequenos e algo intrigantes locais como a pequena cidade de Ji'nan; Qufu, o berço de Confúcio, com o seu templos e mansão; Tai Shan, um dos principais berços do taoismo; e Qingdao, uma cidade costeira que abriga algumas praias, arquitetura colonial, muita cerveja e frutos do mar assim conto uma ligação de barco à Coreia do Sul.

 

 

Província de Jiangsu

Na província de Jiangsu destaca-se Nanjing, a grande "capital do sul" da China, e a maravilhosa Suzhou, cujo centro é atravessado por belos canais e pontilhado por jardins de design clássico.

 

 

Província de Zhejiang

Mais para sul, na província de Zhejiang, o destaque vai para Hangzhou, considerada por Marco Polo como “a cidade mais bonita e magnífica do mundo”; seu Xi Hu (Lago Oeste), ainda reconhecível pelas pinturas clássicas, é merecidamente classificado como um dos pontos mais belos da China. O mesmo pode ser dito da encantadora ilha de Putuo Shan, que se projeta para fora do mar, a leste do continente.

A prosperidade da região faz com que o alojamento seja algo caro, embora existam sempre excelentes opções de alojamento a preços competitivos.

O clima varia um pouco de norte para sul: o clima em Shandong, por exemplo, é semelhante ao de Pequim; enquanto a região do rio Yangzi, apesar de baixa e distante das planícies do norte, é desagradavelmente fria e húmida no inverno, mas também insuportavelmente quente durante o verão – não é de estranhar a reputação de Nanjing como um dos "três fornos" da China. Uma das melhores alturas do ano para visitar a china é durante a primavera (de meados de abril a final de maio), durante a qual uma combinação de chuva, sol e baixa humidade dá ao terreno um toque de verde.

 

Fujian, Guangdong e Ilha Hainan

Existe algo de muito independente nas províncias de Fujian, Guangdong e Ilha Hainan, área que ocupa cerca de 1200 km da costa sul da China. Apesar de ocasionalmente ocuparem o palco central na história do país, estas províncias dão a sensação de estarem isoladas dos eventos dominantes pelas montanhas ao redor de Fujian e Guangdong, afastando-as fisicamente do resto do império.

Estas regiões costeiras têm uma longa história de contato com o mundo exterior: é aqui que o Islão entra na China, e a porcelana e o chá saem ao longo da Rota Marítima da Seda; onde foram exibidos os teatros de meados do século XIX das guerras do ópio, o colonialismo, a revolta de Taiping e o êxodo em massa no exterior do sul da China; e onde hoje encontra algumas das cidades mais ocidentalizadas da China ao passo que as montanhas interiores incluem alguns dos cantos mais selvagens e remotos do país.

Devido à fraca promoção das suas atrações, esta é algo fora do roteiro turístico e recebe poucos visitantes, exceptuando aqueles que aqui passam em trânsito para Hong Kong ou Macau.

A expansão industrial que circunda a capital de Guangdong, Guangzhou, deixa uma impressão algo sombria de um desenvolvimento descontrolad, no entanto, mesmo em Guangzhou é possível encontrar arquitetura antiga e uma atmosfera animada e acolhedora, enquanto cidades menores - incluindo o porto de Xianen em Fujian e Chaozhou, no leste de Guangdong – são autênticas joias culturais que parecem ter parado no tempo e que preservam firmemente as suas tradições. A nível de cenário, a região de Wuyi Shan, no nordeste de Fujian, conta com as florestas de montanha mais exuberantes e pitorescas da região; no sul da ilha de Hainan, encontram-se as melhores e mais movimentadas praias do país.

Como uma das áreas mais desenvolvidas do continente, deslocar-se pela região é bastante fácil, no entanto o alojamento poderá ser algo caro e com flutuações sazonais no preço. O clima é mais agradável na primavera e no outono, as tempestades de verão que ocorrem entre junho e agosto trazem calor e humidade sufocantes, trovões, aguaceiros e inundações. Por outro lado, as regiões mais altas da fronteira entre Guangdong e Fujian são normalmente muito frias no inverno.

 

 

Hong Kong e Macau

Hong Kong

A entrega das duas últimas colônias européias da Ásia, Hong Kong em 1997 e Macau em 1999, abriu novas épocas para ambas.

Apesar da uma herança colonial visível, o caráter chinês dominante nestas duas “Regiões Administrativas Especiais da China”, é bem visível, não fosse a população de Hong Kong e Macau de 97% de chineses, o idioma principal é o cantonês em duas regiões onde sempre existiram laços estreitos com a região ao norte da fronteira.

Macau

Inicialmente sob o domínio colonial e agora chinês continental, os cidadãos de Hong Kong e Macau nunca tiveram voz no futuro, o que os levou a concentraram seus esforços em outras coisas - principalmente em ganhar dinheiro.

Com ênfase na economia e no consumismo, Hong Kong oferece a maior variedade e concentração de lojas e centros comerciais do mundo, além de uma variedade colossal de opções gastronómicas, vistas do mar e da ilha, montanhas verdes e paisagens urbanas futuristas. A excelente infra-estrutura, incluindo o eficiente sistema de transporte público, os úteis escritórios de turismo e todas as outras instalações de uma cidade genuinamente internacional, fazem desta uma entrada extremamente suave para o mundo chinês.

Embora Hong Kong seja um importante centro financeiro global, Macau ultrapassou o seu vizinho nos últimos anos como um paraíso dos jogos de azar. Os seus numerosos casinos tornaram Macau numa verdadeira Las Vegas do Oriente. A riqueza financiou uma paisagem urbana moderna, mas as evidências de seu passado colonial persistem em extensos quartos da arquitetura antiga em estilo mediterrâneo, juntamente com o vinho português e a culinária macaense, uma fusão de estilos coloniais e chineses.

Os visitantes gastam mais dinheiro aqui do que em qualquer outro lugar na China, embora o transporte público e a comida tenham um bom valor e apesar do alojamento ser algo caro considerando aquilo que recebe, Macau é sempre um destino interessante para visitar e, tal como Hong Kong, uma versão mais “soft” da China.

Mais sobre Hong Kong

 

Mais sobre Macau