Os melhores destinos para visitar no Senegal

Senegal

O país mais ocidental da África continental ocupa um colossal espaço no Sahel que vai desde os bosques guineenses até o fundo do Saara, contando com destinos bastante curiosos e, ao mesmo tempo, fascinantes.

Da capital Dakar, uma cidade repleta de mercados que transmite uma energia infinita até Saint-Louis com os seu porto repleto de navios coloridos e com suas galeria de estilo parisiense, enfim há muito para ver e fazer nestas duas cidades.

Nas regiões selvagens existe muito mais para surpreender qualquer viajante, desde os canais sinuosos do rio Gâmbia até às praias cintilantes da costa senegalesa encontramos imensas atrações dignas de registo. Deixamos aqui alguns dos destinos que valem a pena explorar ao pormenor no Senegal.

 

Dakar

Dakar

Dakar, a capital do Senegal já ultrapassou a suas superfície na Península de Cabo Verde, estendendo-se atualmente para o leste, para as áridas planícies, e jorra sobre os molhes das docas numa mistura de navios mercantes e mercearias com cheiro a peixe.

O porto de Dakar foi, sem dúvida, o grande impulsionador do crescimento da população e da cidade que ocupa atualmente uma área de 82km2 e conta com uma população acima de 1 milhão de habitantes.

Dakar é uma cidade multicultural com uma energia única. Não deixe de conhecer os curiosos arranjos soviéticos do Monumento do Renascimento Africano, o aclamado Museu das Artes Africanas e as antigas ruínas do comércio de escravos na Ilha Goree, antes de mergulhar na curiosa mistura de restaurantes libaneses nos bazares de bordados africanos, barracas de amendoim torradas e bares de cerveja estridentes em volta do “selvagem” Mercado de Sandaga.

 

 

 

Saint-Louis

Saint Louis

Por muito estranho e curioso que seja, existem inúmeras semelhanças entre Saint-Louis no norte do Senegal e a cidade homónima de Saint-Louis, nos Estados Unidos, apesar se ambas estarem separadas por um vasto oceano.

Confira a construção de aço em arco da ponte Faidherbe, abrangendo o rio Senegal que lembra algo do género no Mississippi.

Mergulhe no coração da antiga cidade de Saint-Louis para descobrir as construções coloniais em estilo francês, frontispícios caiados de branco no estilo de plantação e arcadas sombrias e , como se estas semelhanças não bastassem há ainda a realização anual de festivais de Jazz durante o mês de maio.

As semelhanças só terminam nas aldeias de Guet N'dar, ou nos penhascos escarpados e criaturas exóticas da Península Barbarie.

Saint-Louis é um destino essencial no Senegal.

 

 

 

Ziguinchor

Ziguinchor

Um destino que mais perece uma manta de retalhos de construções coloniais pintadas em tons pastel e frontispícios manchados pela idade, vestidos em filigranas europeias e desenhos parisienses, não há como negar o caráter colonial de Ziguinchor.

As atrações aqui são poucas e distantes - a movimentada Marche Saint Maur des Fosses, as curiosas rotatórias da Place Jean-Paul II - o verdadeiro atrativo é o caráter africano terreno do lugar.

Ziguinchor é também a porta de entrada para a região de Casamansa: um lugar onde canoas e pirogas partem ao longo dos caminhos do rio, e as planícies do Sahel começam a se transformar em florestas guineenses verdejantes.

 

 

 

Popenguine

Popenguine

Localizada ao sul da capital, no pântano da Península de Cabo Verde, a pequena cidade de Popenguine é a porta de entrada para uma verdadeira mistura de atrações naturais.

A principal atração de Popenguine é a Reserva Natural Popenguine, que possui, entre outras atrações, uma bela praia, bastante limpa, coberta de pedras, situada entre dois promontórios áridos de dramáticas falésias.

A área também possui as paredes rochosas escarpadas do Cap de Naz, projetando-se para o Atlântico, e uma lagoa particularmente famosa, onde pássaros de todas as formas e tamanhos atraem multidões de observadores durante todo o ano.

 

 

 

Touba

Touba

O epicentro da mística ordem Mouride dos Sufis, Touba, emerge do Sahel no centro do Senegal com sua colossal Grande Mesquita, minaretes imponentes e inúmeros outros santuários e atrações de peregrinação (não menos importante: o túmulo do próprio fundador Mouride: Shaikh Aamadu Bamba Mbakke).

 A cidade cresce com visitantes durante o Grand Magal anual, quando milhares vêm para honrar os programas sociais e islâmicos do estudioso e professor Sufi.

O ponto focal é a sua majestosa mesquita com os seus belos interiores arabescos e um minarete de 87 metros de altura, conhecido como a Queda da Lâmpada.

 

 

 

Joal-Fadiouth

Joual Fadiouth

Parada no tempo, a fascinante aldeia de pescadores de Joal-Fadiouth mais parece um local que foi esquecido pela civilização.

Mas Joal-Fadiouth é uma aldeia com muita vida, com os Pescadores nas suas pirogas de madeira salpicadas de sal a percorrer o mar de molhe em molhe, na sua faina, onde ainda são utilizadas as técnicas de pesca manuais dos séculos passados.

De manhã é possível observar os pescadores a regatear os preços  do peixe, enquanto mais tarde, os restaurantes - sem surpresa - servem alguns dos melhores frutos do mar do país.

Joual Fadiouth

A ilha de Fadiouth, do outro lado da baía e ligada por uma ponte é simplesmente fascinante. Formada na sua quase totalidade por conchas do mar, Fadiout tem uma arquitetura bastante curiosa e atrativa onde a utilização de conchas é uma constante. As casas são construídas em madeira e palha, sobre estacas que as protegem de eventuais inundações na subida da maré.

 

 

 

Kafountine

Kafountine

A pequena localidade de Kafountine é um local pacato e de atmosfera descontraída, ideal para apreciar ao pormenor as inegáveis belezas ​​da costa de Casamança.

Grande parte dos visitantes que escolhem Kafountine para as suas férias são atraídos pelos enormes trechos de areia dourada que vão desde as largas baías banhadas pelos Atlântico até aos movimentados trechos com pirogas de pesca dos habitantes mais próximos da cidade.

A não perder uma visita à floresta des Narangs para visitar os habitats de crocodilos onde poderá avistar várias espécies de pássaros raros, macacos e outras criaturas selvagens do oeste da África que vagam pela vegetação rasteira.

 

 

 

Tambacounda

Tambacounda

 

Localizada numa uma encruzilhada distante, a cidade de Tambacounda é frequentemente visitada por viajantes que começam a sua odisseia  de férias na África Ocidental através de países como a Gâmbia, Guiné-Bissau ou Guiné Conacri, em direção ao sul.

No entanto, especialmente os mais sensíveis ao clima quente rapidamente descobrem este local interessante a ameno, um local onde ainda alguns vestígios coloniais franceses ainda marcam as ruas e comunidades agrícolas terrestres que dominam o sertão.

Tambacounda é também um dos melhores pontos de partida para explorações no lendário Parque Nacional Niokolo-Koba - as terras altas do poderoso rio Gâmbia.

 

 

 

Kaolack

Kaolack

Situada num pequeno promontório nos meandros do rio Saloum, a cidade de Kaolack é conhecida como um centro de ensino islâmico e como um centro industrial de produção de sal senegalês.

Suas atrações começam com a vasta praça central de Medina Baye - olhe para cima para ver os topos de cúpula azul-turquesa dos grandes minaretes.

O Mercado de Kaolack, em seguida, vem com uma disputa de lojas enxutas e vendedores em ruínas, enquanto as encostas rústicas de Coofog são pontilhadas com baobás bulbosos e contam histórias do Reino de Serer que uma vez governou por estas bandas.

 

 

 

Kedougou

Kedougou

Em pleno extremo sudeste do país, onde as florestas guineenses se espalham pelas planícies do Sahel, a cidade de Kedougou tem um caráter muito próprio.

Para começar, sua geografia e topografia são diferentes de qualquer outra área do país - espere exuberantes florestas tropicais e colinas verdejantes.

Kedougou também situa-se numa região muito chuvosa, o que dá origem a um grande quantidade de terras agrícolas na região circundante.

Há ainda os maravilhosos trechos do Parque Nacional Niokolo-Koba: uma enorme área verde onde o rio Gâmbia entra em erupção na companhia de hipopótamos, leões, elefantes e leopardos.

 

 

 

Mboro

Mboro

Mboro é um lugar bastante interessante que pode ser alcançado em pouco mais de uma hora da capital em Dakar.

É o centro de uma das regiões mais férteis do país e produz grande quantidade de vegetais para preencher os movimentados mercados da cidade ao sul.

Mboro também tem um mercado imersivo, e os visitantes adoram deambular entre as barracas de comida e os empórios coloridos de fazendeiros daqui, pechinchando os curiosos trajes típicos de tie-dye e conservas saborosas.

A praia é outra dos locais de visita obrigatória e embora a natação possa ser arriscada, nada como se estabelecer nas areias e passar algum tempo a observar todo o movimento dos pescadores na sua faina diária.

 

 

 

Palmarin

Palmarin

Abrangendo grandes extensões de mangues verdejantes, lagoas salobras e planícies salgadas a leste, e trechos de praias atlânticas no topo das encostas ao norte, a cidade de Palmarin pode ser difícil de alcançar (dificilmente existem estradas reais conectando este com a maior infraestrutura do Senegal), mas certamente tem seu quinhão de atrações.

Há bosques densos de palmeiras para passear, vinho de palmeira a gosto e algumas excelentes areias perto do centro, para não mencionar bandos de hienas selvagens ao redor da cidade, competições de wrestling e até túmulos antigos atribuídos ao povo Sereer.

 

 

 

Fatick

Fatick

Embora o Fatick em não seja um sucesso em termos turísticos e, provavelmente nunca chegará a figurar nas brochuras de viagem com suas humildes avenidas e cabanas empoeiradas, a região ao redor é certamente algo de especial para visitar.

Apimentados com as relíquias da antiga pré-história de Serer, o sertão nos arredores da cidade abriga curiosos megálitos e totens esculpidos que datam do século IX.

Você encontrará milhares de antigas casas tumulares entre as florestas xericas do antigo Baol, incontáveis ​​santuários religiosos e lugares sagrados para a religião de Serer.

 

 

 

Thies

Thies

Mais barato do que a capital e um lugar alegre em todos os aspetos, Thies é frequentemente usada como local de paragem noturna para locais e visitantes que não gostam da energia frenética de Dakar e preferem uma alternativa mais calma.

Thies cumpre o papel alternative na prefeição, com as suas ruas empoeiradas carregadas de habitantes locais sorridentes e acolhedores, alguns charmosos bares caindo aos bocados e algumas lojas decentes.

Thies é principalmente uma cidade de mercado também, o que significa que você pode ter um gostinho do pechinchar que define o lado mercantil do Senegal.

Há também alguns bons locais para provar as especialidades gastronómicas locais de arroz e peixe - basta olhar para as articulações no centro.

 

 

 

Richard Toll

Richard Toll

Cidade situada a poucos passos da fronteira com a Mauritânia, no extremo norte do país, esta cidade deve o seu nome ao seu desenhador e arquiteto de parques, o botânico Jean Michel Claude Richard.

Richard Toll é uma cidade num lugar interessante que combina culturas, ganha vida com a agitação do Mercado Xhouma, repleto de comerciantes de açúcar e barracas de artesanato.

Há também algumas relíquias da era colonial francesa para ver, como o rosto enlameado do grandioso Chateau de Baron Roger.

Richard Toll também tem uma vantagem industrial, com refinarias e depósitos de pesca ao longo do rio.

A nossa App Android

Hotelbooking QR

 
Promoções
 
 
 
 

money-icon

Como poupar nas férias
 
  Iberica360
Voos Baratos
Busca de Voos
flightradar
 
  Paper-Money-icon
Conversor de Moeda
 
 
 
 
 

Online

Temos 114 visitantes e 0 membros em linha