Sobre a Mongólia

Mongólia

Algumas informações úteis para a sua viagem e estada na Mongólia

O Clima na Mongólia

Clima continental extremo que se caracteriza por grandes amplitudes térmicas e por fortes variações da pressão atmosférica. Mesmo no verão, devido à altitude, as noites poderão ser muito frias. Deverá estar preparado para todas as condições.

 

Línguas

Khalkh, Mongol, Kazakh.

Moeda local / Sistema Bancário

Moeda local – Togrog

Os cartões de crédito são pouco aceites na Mongólia mas esta situação tem vindo a melhorar: em alguns hotéis e zonas comerciais, na capital, existem máquinas automáticas; é possível, desde 2002, levantar dinheiro nos bancos através do cartão de crédito internacional. Na capital, não é difícil trocar divisas.

Podem ainda ser efectuadas transferências bancárias através da “Western Union” e “Money Gramm”.

 

 

Regime de entrada e estada na Mongólia

Terminou em 31 de Dezembro de 2015 o período de isenção de vistos de entrada no país para estadias até 30 dias, decretada pelo Governo mongol. Assim, e desde 1 de janeiro de 2016, é aplicável o regime normal de vistos a requerentes nacionais.

É obrigatório um visto de entrada.

A representação diplomática da Mongólia em Portugal tem a sua sede em França. http://min-nestrangeiros.pt

Poderá ainda contactar o Consulado Honorário em Lisboa.

Caso preveja deslocar-se à Rússia ou China (através do comboio ou por via terrestre), é aconselhável estar previamente munido dos vistos para estes países. A sua obtenção em Ulan Bator poderá tornar-se difícil.

 

 

Condições de segurança na Mongólia

Satisfatórias, mas em deterioração.

Verifica-se um aumento da pequena criminalidade, particularmente na capital, pelo que deverá manter as cautelas habituais em todos os locais mas mais intensamente na capital, Ulan Bator, e locais turísticos ou de passagem obrigatória de turistas como sejam: aeroportos, mosteiros, museus, mercados e transportes públicos. O grande mercado, conhecido muitas vezes como “mercado negro”, regista um elevado número de ladrões. Situação semelhante surge durante as celebrações do “Naadam” (11,12 e 13 de Julho), onde se verifica uma grande concentração de multidões.

Não é aconselhável passear durante a noite na capital.

Mantenha uma cópia do passaporte guardado num lugar diferente do original.

Números úteis:

Polícia – Tel: 102

Urgência – Tel: 103

Bombeiros – Tel: 101

 

 

Transportes na Mongólia

Infraestrutura rodoviária – O estado de conservação das estradas e ruas das cidades é fraco, sem sinalização, tornando a condução perigosa. O abastecimento de combustível e reparação automóvel é aleatório fora das cidades. O seguro não é obrigatório; em caso de acidente, deverá resolver o problema de forma amigável e com a presença da polícia.

As principais cidades de província estão ligadas por um serviço de minibus com partida das estações de “Teevriin Tovchoo” e de “Dragon Center” em Ulan Bator.

Transporte aéreo – Existem no país 17 aeroportos, 4 com pistas de asfalto. Há voos internos entre as principais cidades mas o estado dos aviões não é o melhor.

Transporte ferroviário – Está limitado a uma linha norte-sul que liga a Rússia à China. É um meio de transporte económico mas que comporta riscos.

Têm-se verificado problemas com turistas que viajam por este meio, nomeadamente na fronteira com a Rússia, por as declarações/formulários alfandegários não estarem preenchidos correctamente.

É ainda aconselhável viajar em primeira classe.

 

 

Cuidados de Saúde na Mongólia

As condições sanitárias e médicas são medíocres na Mongólia, sobretudo fora da capital.

Verificam-se casos de tuberculose e hepatite B. A febre aftosa e brucelose são endémicas. Registam-se igualmente casos de raiva.

Apesar de não serem obrigatórias, deverá verificar se as vacinas de base estão em dia.

No verão, poderão ser declaradas quarentenas e consequentemente regiões proibidas aos viajantes, devido a epidemias de febre aftosa ou brucelose. Não é aconselhável a prática da caça ou o consumo de carne nesta época.

Deverá ainda evitar consumir produtos alimentares crus ou pouco cozidos, especialmente as carnes e ovos.

No caso de comprar produtos alimentares, é aconselhável a verificação da data de expiração indicada nas embalagens.

Deverá consultar o seu médico antes de viajar, sendo aconselhável a realização de um seguro de saúde que cubra todas as despesas médicas, incluindo repatriamento explicitamente a partir da Mongólia.

 

 

Comunicações na Mongólia

As comunicações são fracas especialmente fora da capital, Ulan Bator. Se pretende viajar para o interior do país, deverá considerar levar um telefone satélite. 

 

 

Informações úteis

É interdito o consumo de álcool em locais públicos.

A homosexualidade, embora não seja ilegal, é um assunto tabu na Mongólia.

Não existe representação diplomática portuguesa na Mongólia, sendo os assuntos deste país acompanhados pela Embaixada de Portugal em Pequim.

 

Posto honorário de Portugal na Mongólia

Consulado Honorário em Ulan Battor

2 SukhbaatarSquare, SBD-8, Ulaanbaatar, Mongólia

Telefone: + (976) 11 31 26 25

Fax: + (976) 11 31 21 75

Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Antes de marcar qualquer viagem de férias não deixe de conferir as informações e alertas mais recentes sobre cada país / destino, no Portal das comunidades portuguesas.
COVID-19 - Viagens ao estrangeiro e deslocações e a Portugal

Mantenha-se a par das últimas noticias aqui!

Mais Informao

 

Antes da partida:

1. Verifique se dispõe de passaporte válido. Alguns países exigem um prazo de validade que poderá ir até 6 meses após a conclusão da viagem e outros não aceitam passaportes temporários, se possível deixe a familiares fotocópia do passaporte e do contacto do hotel onde ficará instalado. Verifique também se os seus cartões de crédito/débito são aceites no país de destino;

2. Adquira atempadamente o bilhete e garanta as condições e os meios necessários para a viagem. Assegure-se de que dispõe dos meios suficientes para a sua permanência no país e para regressar, no caso de o seu bilhete de regresso perder a validade;

3. Verifique, junto do seu agente de viagens ou nas Embaixadas e Consulados, se necessita de um visto para entrar no país de destino. Em caso afirmativo, não parta sem obter o visto;

4. Informe-se sobre quaisquer acordos de assistência médica que possam existir com os países do seu destino;

5. Obtenha o seu Cartão Europeu de Seguro de Doença - CESD, caso se desloque para um país da União Europeia. Informe-se nos serviços ou no site da Segurança Social ou do seu subsistema de saúde;

6. Informe-se, com antecedência, quanto à necessidade de cuidados de saúde especiais (vacinas ou precauções especiais). Aconselha-se a realização de uma Consulta do Viajante (atentos a que alguns países exigem a apresentação do certificado internacional de vacinação contra a febre amarela).

Nesta consulta é informado sobre medidas preventivas (ou curativas) a adotar antes, durante e depois da viagem, em função do destino, da viagem e de quem viaja. Esta consulta é extremamente importante para todos os viajantes, em particular para grávidas, crianças, idosos e indivíduos com doenças crónicas.

Esta consulta inclui vacinação ou toma preventiva de medicação contra múltiplas doenças de risco baixo ou inexistente em Portugal, informação sobre higiene individual e cuidados a ter com a água e os alimentos que se ingerem, aconselhamento e prescrição da farmácia do viajante que pode ou deve levar consigo e informação sobre assistência médica e riscos nos destinos para que viaje.

A consulta do viajante deve ser marcada um a dois meses antes da realização da viagem. O paciente deve levar consigo o seu documento de identificação (com número de utente de serviço de saúde), o boletim individual de saúde/vacinas e o certificado internacional de vacinação (caso já tenha).

As consultas do viajante e os centros de vacinação internacional encontram-se disponíveis em todo o país. Pode localizar o mais próximo da sua área de residência no site do Serviço Nacional de Saúde.

Em complemento à informação aqui disponibilizada, recomenda-se a consulta dos portais da União Europeia (UE), com recomendações para quem se prepara para viajar no Espaço Europeu, e da Direção-Geral da Saúde.

7. Faça um seguro de viagem que inclua, preferencialmente, assistência médica, roubo, furto e despesas de repatriação. Verifique as condições contratuais e os dados mais importantes: idade e limites territoriais, notificação de queixas e prazos de validade;

8. Informe algum familiar ou amigo da data de partida e da previsível hora de chegada. Indique o país ou países de destino, moradas e números de telefone de contacto.

9. Se vai viajar para países com condições de segurança precárias, procure obter o máximo de informação possível antes da sua partida e informe a(s) Embaixada(s) e/ou o(s) Consulado(s) de Portugal do país ou países que pretende visitar, da data de inicio da viagem, dos locais onde irá permanecer e dos respectivos contactos telefónicos;

10. Registe-se na aplicação móvel gratuita “Registo Viajante”, disponível para dispositivos Android e IOS, permitindo ser imediatamente localizado e contactado em caso de emergência, como catástrofes naturais, acidentes ou atentados. Pode igualmente registar-se no Formulário Registo Viajante.

 

 

No destino:

1. A fim de evitar o extravio da documentação, é aconselhável o depósito dos originais e dos bilhetes de viagem nos cofres do hotel. É suficiente, na maior parte dos países, a exibição de fotocópia dos documentos, autenticada com selo a óleo do hotel;

2. Qualquer que seja o país de destino, deverá evitar a exibição de joias e objetos de valor. Os pequenos furtos são uma constante e toda a precaução é recomendável;

3. Evite frequentar ruas mal iluminadas de noite e não resista a uma tentativa de roubo violento;

4. Não transporte malas ou embrulhos que não lhe pertençam e mantenha sempre sob vigilância a sua bagagem;

5. Não conduza veículos de outras pessoas através de fronteiras;

6. Recuse e evite qualquer tipo de contacto, manipulação ou consumo de drogas. Poderá enfrentar, consoante a lei de cada país, multas pesadas, longas penas de prisão em condições difíceis, ou mesmo a pena de morte;

7. Nos países muçulmanos e orientais, o viajante irá deparar-se com culturas muito diferentes da ocidental, devendo observar as regulamentações locais relativas ao vestuário e formas de comportamento. O consumo de drogas e de bebidas alcoólicas é geralmente punido com pesadas penas de prisão.

8. Tenha também sempre presente que as suas atitudes poderão beneficiar ou prejudicar a imagem de Portugal.

Nota importante

As presentes informações não têm natureza vinculativa, funcionando apenas como indicações e conselhos, e são suscetíveis de alteração a qualquer momento.

Mais Informao

plain BLUE   bed 2   Rental Cars   Seguro de Viagem

Voos Baratos

 

Reserva de Hotel

 

Aluguer de Carro

 

Seguro de Viagem

 
Promoções
 
 
 
 

money-icon

Como poupar nas férias
 
  Iberica360
Voos Baratos
Busca de Voos
flightradar
 
  Paper-Money-icon
Conversor de Moeda