Sobre o Paquistão

Paquistão

O Paquistão é um país de grande extensão geográfica, possuindo uma beleza natural que se mostra diversificada ao longo do seu território.

A História do Paquistão regista um acumular de culturas desde tempos muito antigos, existindo, inclusive, restos de civilizações que se encontram entre as primeiras conhecidas no Mundo.

Os paquistaneses são orgulhosos da sua cultura, monumentos, variedade de línguas, gastronomia (que, nalguns casos, se pode revelar extremamente picante), trajes regionais e tradicionais que mostram grande beleza num país conhecido pela qualidade dos seus tecidos, artesanato e folclore.

Neste momento, ultrapassado um período de especial violência, o país pretende reaparecer como destino turístico, inclusive no que respeita à prática de desportos como o golfe ou ski, a condições de preço muito razoáveis e, principalmente, o montanhismos e os passeios pedestres em zonas naturais.

Podem ocoorer possíveis tentativas de abuso, nomeadamente no que respeita aos preços praticados (de referir, contudo, que nalguns casos, as tarifas oficiais são muito mais elevadas para estrangeiros). Não é percetível, nomeadamente nos locais frequentados por turistas, a existência de uma criminalidade de rua que ameace os visitantes. No entanto, como acima referido, inclusive por razões de diferenças culturais, é sempre aconselhada a presença de acompanhantes locais.

De referir que, atendendo a ser um país muçulmano, não é permitido o consumo de bebidas alcoólicas fora de residências privadas. Nos períodos do Ramadão ou feriados religiosos, deverá ser mantida discrição no consumo de alimentos, bebidas ou no fumar em locais públicos. Deverá ter-se cuidado com comentários que possam ser interpretados como um insulto à religião, fortemente punido pela lei.

 No mesmo contexto, deverá ser mantido cuidado com o vestuário usado, com vista a não ferir sensibilidades.

O tráfico e a posse de droga são pesadamente penalizados.

Não deverão ser tiradas fotografias, ou feitos filmes de instalações militares.

 

 

O Clima no Paquistão

As monções ocorrem geralmente em julho e agosto, quando são atingidas temperaturas muito altas, nomeadamente nas zonas meridionais do país. O clima mais agradável ocorre entre março e maio, mesmo com chuvas ocasionais. De novembro a fevereiro, as temperaturas podem atingir 15 a 17 graus de dia e valores negativos à noite. Naturalmente, as temperaturas e o clima variam, como atrás referido, com as coordenadas do local, verificando-se, mesmo, quedas de neve nas regiões setentrionais.

De todas as formas, atendendo ao tipo de construção das casas (que não hotéis de qualidade) o frio faz-se muito sentir no período de inverno, sendo aconselhável roupa adequada.

 

Línguas

Urdu e Inglês e as diversas línguas locais que são inúmeras. Pode acontecer que, mesmo o Urdu, não seja falado nalgumas zonas, devendo os turistas assegurar a companhia de um intérprete adequado.

 

Moeda local/sistema bancário

A moeda local é a Rupia.

As instituições bancárias paquistanesas estão abertas ao público durante o horário normal de expediente (9h-17h), sendo às sextas-feiras observado o período de oração durante a hora de almoço. As casas de crédito acreditadas têm um horário mais flexível, podendo estar acessíveis ao fim-de-semana. Contudo, convém confirmar, por telefone, ou junto do hotel ou do sítio de hospedagem, os referidos horários, com vista a evitar deslocações inúteis. As taxas de câmbio estão sempre publicitadas nesses locais, podendo a taxa do dia ser consultada nos principais jornais de Língua Inglesa.

Os cartões de crédito internacionais são aceites nos grandes centros urbanos, nos bons hotéis, lojas de turismo e restaurantes. Podem ser encontradas, também, instalações de ATM (verificar a taxa de comissão cobrada). Contudo, não sendo em locais muito especiais, mostram-se preferíveis pagamentos em moeda, com vista a obviar casos de clonagem de cartões.

Convém aconselhar-se – eventualmente com o guia ou no local de alojamento – sobre os preços praticados em mercados de rua ou lojas de produtos locais. De todas as formas, exceto em hotéis ou centros comerciais, os preços podem ser, sempre, negociados.

 

Regime de Entrada e Estada no Paquistão

Regime de vistos

É necessário visto para entrada no Paquistão, cujo tipo dependerá das caraterísticas da viagem, informação que poderá ser obtida junto da Embaixada do Paquistão em Lisboa, incluindo no que respeita prazos de estadia e possibilidades de renovação em solo paquistanês. Não obstante a eficácia dos serviços da Embaixada do Paquistão permitir, geralmente, a emissão do visto em poucos dias, convém que o pedido seja apresentado com certa antecedência, no sentido de permitir colmatar atempadamente faltas de documentos, etc.

Idealmente, a submissão do pedido deverá ser antecedida por um telefonema informativo junto da Embaixada do Paquistão.

Recentemente, as Autoridades paquistanesas adotaram a política do visto à chegada («VisaOnArrival») para empresários de alguns países, incluindo Portugal. Para o efeito, o interessado poderá apresentar-se em qualquer aeroporto internacional do Paquistão e mostrar um dos seguintes documentos, para além do passaporte com validade superior a seis meses após o término de estada prevista:

- Carta de recomendação de uma Câmara de Comércio e Indústria portuguesa;

- Carta convite de empresa paquistanesa reconhecida pela respetiva organização comercial no Paquistão (legalmente registada no país);

- Carta convite do Conselheiro/Adido Comercial acreditado numa missão diplomática paquistanesa.

As condições completas para obtenção destes vistos, válidos por 30 dias, encontram-se disponíveis na página www.interior.gov.pk, link «Visa Policy General».

De qualquer forma, atendendo às rigorosas condições de segurança vigentes nos aeroportos paquistaneses, aconselha-se a verificação cuidadosa de estarem reunidas as condições para o «visto à chegada» antes da entrada no país.

É obrigatória a vacina contra a febre-amarela para aqueles que chegam de África e da América Latina.

Existem restrições à entrada e saída de divisas, sendo a detenção daquelas, quando superior a um certo montante, objeto de declaração pelo viajante. Por esse efeito, convirá ser esclarecido, no momento da submissão do pedido de visto, qual o montante exato permitido e a que tipo de divisas corresponde.

No contexto do combate à importação ilegal de telemóveis, o Paquistão tem vindo a condicionar e limitar a sua entrada no país, mesmo no caso de aparelhos pessoais. Com vista a impedir uma sua taxação, penalização ou, inclusive, possível apreensão pelas Autoridades, convém que os viajantes se procurem informar antecipadamente, na Embaixada do Paquistão ou junto da agência de viagens utilizada, sobre as condições, necessidade de registo, ou formalidades a cumprir relativamente aos aparelhos celulares transportados

Aeroportos internacionais: Islamabad, Karachi, Lahore, Peshawar e Quetta (embora, a nível de voos internacionais com conexões à Europa, só se preveja que sejam utilizados os três primeiros).

Procura e reserva de Voos

 

Condições de segurança no Paquistão

 

Condições de Segurança – Convém obter informação prévia junto da Embaixada de Portugal em Islamabad (ver contatos no final), ou da Embaixada do Paquistão em Lisboa (idem).

As deslocações fora dos centros urbanos que se deverão evitar, que tenham lugar à noite, nomeadamente por via rodoviária, deverão ser organizadas por uma agência de viagens que, nomeadamente, garanta todas as condições de segurança (escolta, eventualmente policial, permanente, etc.). Existem zonas do Paquistão que se podem considerar especialmente perigosas, como as do «Khyber Pass», a Província do Baluquistão, ou as fronteiras com o Afeganistão/Irão/Índia, longe dos postos fronteiriços vigiados. Terá, inclusive, de se ter em atenção que, muitas vezes, as populações locais não compreendem Inglês. Mesmo nos centros urbanos, as deslocações deverão ser acompanhadas por locais, ou mesmo, vigiadas por Forças de Segurança, públicas ou privadas.

 Durante a estadia, o viajante deverá manter-se a par das condições de segurança locais, informando-se junto do sítio de alojamento/esquadras da polícia sobre normas aconselhadas para saída das instalações. Idealmente, as Autoridades paquistanesas e a Embaixada de Portugal em Islamabad deverão ser informadas sobre deslocações prolongadas ou a zonas mais isoladas, sendo que terá de ser pedida autorização prévia dos Departamentos paquistaneses competentes para visitar determinadas regiões (o que, igualmente, permite impedir a possibilidade de deslocações em situação de perigo).

Em Islamabad e outros centros urbanos, devem evitar-se idas e permanência em locais onde decorram manifestações públicas ou se verifiquem grandes ajuntamentos de pessoas suscetíveis de originar tumultos. A assistência a espetáculos em recintos fechados só deverá ter lugar em locais onde se verifique existir um controlo rigoroso no acesso (o que poderá não ser o caso de salas de cinema em centros comerciais, por exemplo).

Os turistas, nomeadamente montanhistas que pretendam deslocar-se ao Norte do Paquistão, para além de se informarem sobre as condições de segurança junto das Autoridades ou entidade organizadora da viagem, deverão imediatamente contatar a polícia caso se sintam em risco. Nas regiões do Norte do país, será o caso da "célula de proteção a estrangeiros", mais próxima, da seguinte lista fornecida pelo Governo do Paquistão, que deverá estar sempre à mão:

  «Tourist Assistance Helpline at Central Police Office 0581115 ou 05811930345; «Tourist Assistance Helpline of District Police Gilgit 05811930033; «Tourist Assistance Helpline of District Hunza-Nagar» 0581315 ou 05813930722; «Tourist Assistance Helpline of District Diamer; 05812930037; «Tourist Assistance Helpline of District Skardu» 05815930132; «Tourist Assistance Hepline of District Astore» 05817930420; «Tourist Assistance Helpline of District Ghanche» 05816930171;

As cidades de Peshawar, na Província do Khyber Pakhtunkhwa, Quetta, na Província do Baluquistão e a área montanhosa do Indu Kush localizam-se em zona sísmica, existindo, assim, o risco de terramotos, ocasionalmente de grande escala.

 

Transportes no Paquistão

Transportes aéreos

Aeroportos internacionais: Islamabad, Karachi, Lahore, Peshawar e Quetta (embora, a nível de voos internacionais com conexões à Europa, só se preveja que sejam utilizados os três primeiros).

 

 

Cuidados de saúde no Paquistão

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, o vírus da poliomielite continua muito presente no Paquistão, devendo, à saída do país, todos os viajantes apresentarem o comprovativo da respetiva vacina (boletim de vacinas), sob pena de não poderem partir.

A rede sanitária é, ainda, insuficiente, sendo, nas zonas rurais, difícil de garantir a assistência médica. Esse aspeto deve, nomeadamente, ser objeto de consulta prévia com a entidade organizadora da deslocação (agência de turismo), nomeadamente sobre a qualidade dos serviços de saúde aconselhados e quais as alternativas existentes.

Os surtos de cólera, febre tifoide, disenteria, febres virais, hepatite B e malária podem ser frequentes durante o verão. É recomendável a vacina contra a hepatite, tétano, febre tifoide e a prevenção da malária, bem como o uso de repelentes. Deve-se ter especial cuidado com o estado de conservação dos alimentos servidos (mesmo nas cidades, fora dos restaurantes de maior qualidade ou cadeias internacionais de hotéis), nomeadamente saladas, pescado e marisco. É recomendado o consumo de água engarrafada importada (e nunca da torneira). Eventualmente, os guias e as agências de turismo deverão responsabilizar-se pela qualidade dos restaurantes a serem frequentados – o que não significa que não se encontrem restaurantes de grande qualidade gastronómica, mesmo longe das cidades.

Muito embora não haja casos do Vírus Zika registados no país, recomenda-se a todos os cidadãos nacionais a adotarem medidas adequadas para prevenção de contágio (incluindo o uso de repelentes).

Em caso de verificação de sintomas associados a este vírus aconselha-se o contato imediato com as Autoridades de Saúde e a comunicação à Embaixada de Portugal ou ao Gabinete de Emergência Consular do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Aconselha-se o recurso a seguros privados, embora o respetivo reembolso possa, em muitos casos, ser lento.

 

 

Telecomunicações no Paquistão

 O sistema de telecomunicações está muito difundido nas áreas urbanas, não obstante as ligações poderem mostrar-se inexistentes imediatamente fora das cidades ou povoações principais (exceto autoestradas, etc.). Por motivos de economia, e se for o caso de estadias mais prolongadas, aconselha-se o uso de redes locais, nomeadamente através de telemóveis com o respetivo cartão.

 

Informações úteis

Contatos úteis:

Embaixada de Portugal em Islamabad: telefone +92 (0) 518 44 7042 (horário de atendimento das 9 ás 17 horas locais durante os dias de semana); emergência +92 (0) 3008504619; email Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.; sítio eletrónico www.embaixadaportugal.mne.pt/pt/a-embaixada/notícias.

Endereços das representações diplomáticas e consulares portuguesas https://www.portaldascomunidades.mne.pt/.

Representações diplomáticas e consulares em Portugal http://www.mne.gov.pt/mne/ministerio/CorpoDiplomatico/.

 

Antes de marcar qualquer viagem de férias não deixe de conferir as informações e alertas mais recentes sobre cada país / destino, no Portal das comunidades portuguesas.
COVID-19 - Viagens ao estrangeiro e deslocações e a Portugal

Mantenha-se a par das últimas noticias aqui!

Mais Informao

 

Antes da partida:

1. Verifique se dispõe de passaporte válido. Alguns países exigem um prazo de validade que poderá ir até 6 meses após a conclusão da viagem e outros não aceitam passaportes temporários, se possível deixe a familiares fotocópia do passaporte e do contacto do hotel onde ficará instalado. Verifique também se os seus cartões de crédito/débito são aceites no país de destino;

2. Adquira atempadamente o bilhete e garanta as condições e os meios necessários para a viagem. Assegure-se de que dispõe dos meios suficientes para a sua permanência no país e para regressar, no caso de o seu bilhete de regresso perder a validade;

3. Verifique, junto do seu agente de viagens ou nas Embaixadas e Consulados, se necessita de um visto para entrar no país de destino. Em caso afirmativo, não parta sem obter o visto;

4. Informe-se sobre quaisquer acordos de assistência médica que possam existir com os países do seu destino;

5. Obtenha o seu Cartão Europeu de Seguro de Doença - CESD, caso se desloque para um país da União Europeia. Informe-se nos serviços ou no site da Segurança Social ou do seu subsistema de saúde;

6. Informe-se, com antecedência, quanto à necessidade de cuidados de saúde especiais (vacinas ou precauções especiais). Aconselha-se a realização de uma Consulta do Viajante (atentos a que alguns países exigem a apresentação do certificado internacional de vacinação contra a febre amarela).

Nesta consulta é informado sobre medidas preventivas (ou curativas) a adotar antes, durante e depois da viagem, em função do destino, da viagem e de quem viaja. Esta consulta é extremamente importante para todos os viajantes, em particular para grávidas, crianças, idosos e indivíduos com doenças crónicas.

Esta consulta inclui vacinação ou toma preventiva de medicação contra múltiplas doenças de risco baixo ou inexistente em Portugal, informação sobre higiene individual e cuidados a ter com a água e os alimentos que se ingerem, aconselhamento e prescrição da farmácia do viajante que pode ou deve levar consigo e informação sobre assistência médica e riscos nos destinos para que viaje.

A consulta do viajante deve ser marcada um a dois meses antes da realização da viagem. O paciente deve levar consigo o seu documento de identificação (com número de utente de serviço de saúde), o boletim individual de saúde/vacinas e o certificado internacional de vacinação (caso já tenha).

As consultas do viajante e os centros de vacinação internacional encontram-se disponíveis em todo o país. Pode localizar o mais próximo da sua área de residência no site do Serviço Nacional de Saúde.

Em complemento à informação aqui disponibilizada, recomenda-se a consulta dos portais da União Europeia (UE), com recomendações para quem se prepara para viajar no Espaço Europeu, e da Direção-Geral da Saúde.

7. Faça um seguro de viagem que inclua, preferencialmente, assistência médica, roubo, furto e despesas de repatriação. Verifique as condições contratuais e os dados mais importantes: idade e limites territoriais, notificação de queixas e prazos de validade;

8. Informe algum familiar ou amigo da data de partida e da previsível hora de chegada. Indique o país ou países de destino, moradas e números de telefone de contacto.

9. Se vai viajar para países com condições de segurança precárias, procure obter o máximo de informação possível antes da sua partida e informe a(s) Embaixada(s) e/ou o(s) Consulado(s) de Portugal do país ou países que pretende visitar, da data de inicio da viagem, dos locais onde irá permanecer e dos respectivos contactos telefónicos;

10. Registe-se na aplicação móvel gratuita “Registo Viajante”, disponível para dispositivos Android e IOS, permitindo ser imediatamente localizado e contactado em caso de emergência, como catástrofes naturais, acidentes ou atentados. Pode igualmente registar-se no Formulário Registo Viajante.

 

 

No destino:

1. A fim de evitar o extravio da documentação, é aconselhável o depósito dos originais e dos bilhetes de viagem nos cofres do hotel. É suficiente, na maior parte dos países, a exibição de fotocópia dos documentos, autenticada com selo a óleo do hotel;

2. Qualquer que seja o país de destino, deverá evitar a exibição de joias e objetos de valor. Os pequenos furtos são uma constante e toda a precaução é recomendável;

3. Evite frequentar ruas mal iluminadas de noite e não resista a uma tentativa de roubo violento;

4. Não transporte malas ou embrulhos que não lhe pertençam e mantenha sempre sob vigilância a sua bagagem;

5. Não conduza veículos de outras pessoas através de fronteiras;

6. Recuse e evite qualquer tipo de contacto, manipulação ou consumo de drogas. Poderá enfrentar, consoante a lei de cada país, multas pesadas, longas penas de prisão em condições difíceis, ou mesmo a pena de morte;

7. Nos países muçulmanos e orientais, o viajante irá deparar-se com culturas muito diferentes da ocidental, devendo observar as regulamentações locais relativas ao vestuário e formas de comportamento. O consumo de drogas e de bebidas alcoólicas é geralmente punido com pesadas penas de prisão.

8. Tenha também sempre presente que as suas atitudes poderão beneficiar ou prejudicar a imagem de Portugal.

Nota importante

As presentes informações não têm natureza vinculativa, funcionando apenas como indicações e conselhos, e são suscetíveis de alteração a qualquer momento.

Mais Informao

plain BLUE   bed 2   Rental Cars   Seguro de Viagem

Voos Baratos

 

Reserva de Hotel

 

Aluguer de Carro

 

Seguro de Viagem

 
Promoções
 
 
 
 

money-icon

Como poupar nas férias
 
  Iberica360
Voos Baratos
Busca de Voos
flightradar
 
  Paper-Money-icon
Conversor de Moeda