Sobre o Mali

Mali

A situação securitária no Mali inspira enorme preocupação, sendo frequente a ocorrência de atos terroristas. As deslocações não essenciais ao país são desaconselhadas, muito em particular às províncias do Norte, incluindo Kidal, Gao, Koulikoro (norte de Mourdiah), Ségou (norte de Niono), Tombouctou (incluindo a cidade de Timbuktu), Mopti e às áreas de fronteira com a Mauritânia (sobretudo na província de Kayes.

A ameaça terrorista permanece elevada também na capital Bamako, sobretudo em lugares públicos frequentados por ocidentais. É ainda muito presente o risco de rapto de estrangeiros.

Recomenda-se ainda que os cidadãos nacionais registem as suas viagens através da aplicação Registo Viajante e leiam atentamente a informação constante do separador Condições de Segurança. Os residentes devem efetuar a sua inscrição consular junto da Embaixada de Portugal em Argel e mantê-la atualizada.

 

 

O Clima em Mali

Clima desértico quente e seco na maior parte do país.

 

 

Línguas

Francês (oficial), Bambara (falado por 80 % da população) e outras línguas africanas.

 

 

Moeda local / sistema bancário

A moeda local é Franco CFA. Apenas o cartão Visa Internacional é aceite e apenas na Banque Malienne de Crédit et de Dépôt (BMCD). Os traveller cheques são aceites nos principais bancos das grandes cidades do Mali.

 

 

Regime de entrada e estada em Mali

Regime de vistos

É obrigatório o visto de entrada no Mali, o qual deve ser obtido junto de uma missão diplomática ou consular maliana no estrangeiro.

 

 

Condições de segurança em Mali

A situação securitária no Mali inspira enorme preocupação, sendo frequente a ocorrência de atos terroristas. As deslocações não essenciais ao país são desaconselhadas, muito em particular às províncias do Norte, incluindo Kidal, Gao, Koulikoro (norte de Mourdiah), Ségou (norte de Niono), Tombouctou (incluindo a cidade de Timbuktu), Mopti e às áreas de fronteira com a Mauritânia (sobretudo na província de Kayes.

A situação prevalecente no plano militar, os raptos de cidadãos europeus e a presença de grupos terroristas constituem riscos assinaláveis para os viajantes. A ameaça terrorista permanece elevada também na capital Bamako, sobretudo em lugares públicos frequentados por ocidentais.

Se, por motivos absolutamente imperativos, os cidadãos portugueses tiverem que se deslocar até ao Mali, sugere-se que:

    informem a Embaixada de Portugal em Argel da sua chegada a este país;

    evitem deslocações, por via terrestre, no Mali, sobretudo quando os percursos se façam de noite, desacompanhados e/ou em estradas secundárias;

    recorram exclusivamente à via aérea para chegar às cidades do Norte (Tombouctou, Menaka, Kidal, Niafunke, Goundam, etc);

    se viajarem de carro, aconselha-se a organização do circuito através de agências especializadas na região, que circulem em comboio (pelo menos de duas viaturas) e que informem as autoridades locais.

Para se prevenirem de eventual roubo dos documentos, os cidadãos nacionais devem trazer consigo apenas cópia dos mesmos, devendo deixar os originais no cofre do hotel onde se encontrem alojados. É ainda aconselhável não ostentar sinais de riqueza.

Contactos úteis

Direção Nacional da Polícia em Bamako: Tel. (00 223) 2225227 / 2225228 / 2224405.

 

 

Transportes em Mali

Transporte aéreo

Atualmente não existem ligações regulares diretas entre Portugal e Bamako. Existem companhias locais privadas que operam para certas cidades (Kayes, Mopti e Tombouctou), a partir de Bamako.

 

Transporte rodoviário

São poucas as estradas com condições satisfatórias de circulação, sendo ainda estreitas e perigosas, especialmente durante a noite (circulação de pessoas, animais e veículos não iluminados). Aconselha-se a utilização de viaturas todo o terreno. O seguro contra terceiros é obrigatório, mas pouco respeitado. Em caso de acidente, deverá ser elaborado um auto pela polícia.

 

Transporte ferroviário

A linha Dakar-Bamako é precária, sendo as condições de viagem fracas.

 

 

Cuidados de saúde em Mali

Aconselha-se a realização de uma Consulta do Viajante, durante a qual se é informado sobre os riscos e as medidas preventivas a adotar antes, durante e depois da viagem. Recomenda-se ainda que seja contratualizada uma apólice de seguro de viagem e saúde, que possa cobrir os custos de tratamento médico e internamento hospitalar no estrangeiro, incluindo eventual repatriação por via aérea.

É obrigatória a vacina contra a febre amarela. Recomendam-se as vacinas contra o Tétano, Pólio, Hepatite A e B e Meningite. Apesar de não haver registo de casos recentes de ébola no Mali, recomenda-se aos cidadãos que permaneçam atentos às recomendações da Direção Geral de Saúde e da Organização Mundial de Saúde sobre o tema, reforcem os seus cuidados de higiene e evitem o consumo de carne de caça.

Desaconselham-se os banhos nos rios, lagoas ou qualquer outro local semelhante. É provável a infeção de doenças como a bilharziose. Esta recomendação aplica-se também aos mares de Banani e de Siby (arredores de Bamako), situados em zonas turísticas. Existe algum risco de malária. Registam-se também casos de cólera no centro do país.

Contactos úteis

Hospital Gabriel Touré em Bamako: Tel. (00223) 2222712 / 2230780 - Fax (00223) 2226090.

 

 

Informações úteis

Não existe representação diplomática portuguesa no Mali, sendo os assuntos deste país acompanhados pela Embaixada de Portugal em Argel (Argélia). Em caso de viagem ao Mali recomenda-se que informe a Secção Consular desta embaixada e que faça o registo da viagem através da aplicação Registo Viajante.

Durante a estadia no país, recomenda-se o respeito pelos costumes e tradução locais, nomeadamente no que diz respeito ao vestuário usado e aos comportamentos. Apesar de a homossexualidade ser legal no país, esta é socialmente mal vista, havendo registo de atos homofóbicos e discriminação. A importação e o consumo de estupefacientes não são permitidos.

Antes de marcar qualquer viagem de férias não deixe de conferir as informações e alertas mais recentes sobre cada país / destino, no Portal das comunidades portuguesas.
COVID-19 - Viagens ao estrangeiro e deslocações e a Portugal

Mantenha-se a par das últimas noticias aqui!

Mais Informao

 

Antes da partida:

1. Verifique se dispõe de passaporte válido. Alguns países exigem um prazo de validade que poderá ir até 6 meses após a conclusão da viagem e outros não aceitam passaportes temporários, se possível deixe a familiares fotocópia do passaporte e do contacto do hotel onde ficará instalado. Verifique também se os seus cartões de crédito/débito são aceites no país de destino;

2. Adquira atempadamente o bilhete e garanta as condições e os meios necessários para a viagem. Assegure-se de que dispõe dos meios suficientes para a sua permanência no país e para regressar, no caso de o seu bilhete de regresso perder a validade;

3. Verifique, junto do seu agente de viagens ou nas Embaixadas e Consulados, se necessita de um visto para entrar no país de destino. Em caso afirmativo, não parta sem obter o visto;

4. Informe-se sobre quaisquer acordos de assistência médica que possam existir com os países do seu destino;

5. Obtenha o seu Cartão Europeu de Seguro de Doença - CESD, caso se desloque para um país da União Europeia. Informe-se nos serviços ou no site da Segurança Social ou do seu subsistema de saúde;

6. Informe-se, com antecedência, quanto à necessidade de cuidados de saúde especiais (vacinas ou precauções especiais). Aconselha-se a realização de uma Consulta do Viajante (atentos a que alguns países exigem a apresentação do certificado internacional de vacinação contra a febre amarela).

Nesta consulta é informado sobre medidas preventivas (ou curativas) a adotar antes, durante e depois da viagem, em função do destino, da viagem e de quem viaja. Esta consulta é extremamente importante para todos os viajantes, em particular para grávidas, crianças, idosos e indivíduos com doenças crónicas.

Esta consulta inclui vacinação ou toma preventiva de medicação contra múltiplas doenças de risco baixo ou inexistente em Portugal, informação sobre higiene individual e cuidados a ter com a água e os alimentos que se ingerem, aconselhamento e prescrição da farmácia do viajante que pode ou deve levar consigo e informação sobre assistência médica e riscos nos destinos para que viaje.

A consulta do viajante deve ser marcada um a dois meses antes da realização da viagem. O paciente deve levar consigo o seu documento de identificação (com número de utente de serviço de saúde), o boletim individual de saúde/vacinas e o certificado internacional de vacinação (caso já tenha).

As consultas do viajante e os centros de vacinação internacional encontram-se disponíveis em todo o país. Pode localizar o mais próximo da sua área de residência no site do Serviço Nacional de Saúde.

Em complemento à informação aqui disponibilizada, recomenda-se a consulta dos portais da União Europeia (UE), com recomendações para quem se prepara para viajar no Espaço Europeu, e da Direção-Geral da Saúde.

7. Faça um seguro de viagem que inclua, preferencialmente, assistência médica, roubo, furto e despesas de repatriação. Verifique as condições contratuais e os dados mais importantes: idade e limites territoriais, notificação de queixas e prazos de validade;

8. Informe algum familiar ou amigo da data de partida e da previsível hora de chegada. Indique o país ou países de destino, moradas e números de telefone de contacto.

9. Se vai viajar para países com condições de segurança precárias, procure obter o máximo de informação possível antes da sua partida e informe a(s) Embaixada(s) e/ou o(s) Consulado(s) de Portugal do país ou países que pretende visitar, da data de inicio da viagem, dos locais onde irá permanecer e dos respectivos contactos telefónicos;

10. Registe-se na aplicação móvel gratuita “Registo Viajante”, disponível para dispositivos Android e IOS, permitindo ser imediatamente localizado e contactado em caso de emergência, como catástrofes naturais, acidentes ou atentados. Pode igualmente registar-se no Formulário Registo Viajante.

 

 

No destino:

1. A fim de evitar o extravio da documentação, é aconselhável o depósito dos originais e dos bilhetes de viagem nos cofres do hotel. É suficiente, na maior parte dos países, a exibição de fotocópia dos documentos, autenticada com selo a óleo do hotel;

2. Qualquer que seja o país de destino, deverá evitar a exibição de joias e objetos de valor. Os pequenos furtos são uma constante e toda a precaução é recomendável;

3. Evite frequentar ruas mal iluminadas de noite e não resista a uma tentativa de roubo violento;

4. Não transporte malas ou embrulhos que não lhe pertençam e mantenha sempre sob vigilância a sua bagagem;

5. Não conduza veículos de outras pessoas através de fronteiras;

6. Recuse e evite qualquer tipo de contacto, manipulação ou consumo de drogas. Poderá enfrentar, consoante a lei de cada país, multas pesadas, longas penas de prisão em condições difíceis, ou mesmo a pena de morte;

7. Nos países muçulmanos e orientais, o viajante irá deparar-se com culturas muito diferentes da ocidental, devendo observar as regulamentações locais relativas ao vestuário e formas de comportamento. O consumo de drogas e de bebidas alcoólicas é geralmente punido com pesadas penas de prisão.

8. Tenha também sempre presente que as suas atitudes poderão beneficiar ou prejudicar a imagem de Portugal.

Nota importante

As presentes informações não têm natureza vinculativa, funcionando apenas como indicações e conselhos, e são suscetíveis de alteração a qualquer momento.

Mais Informao