Sobre a República do Congo

brazzaville

Aqui encontra algumas informações úteis para a sua viagem e estada na República do Congo

Com excepção das cidades de Brazzaville e de Ponta-Negra desaconselha-se qualquer viagem  não necessária à República do Congo.

 

Usos e costumes na República do Congo

Deve obedecer à legislação local. Existem pesadas sanções por posse, uso e tráfico de drogas. As pessoas culpadas desse delito estão sujeitas a penas de detenção e pesadas multas.

É proibido fotografar edifícios públicos e instalações militares. Solicite a autorização dos locais antes de os fotografar.

As instalações turísticas são limitadas. Os cortes de electricidade e a falta de gasolina são frequentes.

 

O Clima na República do Congo

Clima equatorial, estação seca entre Junho e Setembro. Estação das chuvas entre Outubro e Junho.

 

Língua: No país fala-se o Francês.

 

Moeda local e Sistema Bancário

A moeda local é o franco CFA (ou XAF). De modo geral, deve pagar-se em dinheiro, os cartões de crédito só são aceites em grandes hotéis e restaurantes em Brazzaville ou em Ponta-Negra.

 

 

Regime de Entrada e estada na República do Congo

Para entrar na RDC os Portugueses devem apresentar obrigatoriamente:

  • passaporte válido por pelos menos 6 meses,
  • visto válido
  • Boletim de vacinas actualizado atestando estar vacinado contra a febre amarela, a varíola e a cólera)

 

Visto

O visto não pode ser obtido à entrada do país, podendo ser emitido unicamente numa missão diplomática da RC, situada no país de residência do requerente.

Em Portugal, esse visto é emitido pelo Consulado  Honorário da República do Congo em Almada.

 

 

 

Condições de segurança na República do Congo

Segurança: A situação parece calma, mas mantém-se tensa, podendo degradar-se inesperadamente. Deverá ser cauteloso, evitar as manifestações ou os ajuntamentos, seguir as instruções das autoridades locais nos pontos de controlo e acompanhar as notícias difundidas pelos media locais.

Devido à insegurança vivida na vizinha República Democrática do Congo (RDC), deverá ser extremamente prudente se viajar na zona fronteiriça do Norte do Congo ao longo do rio Ubangui. 

 Em caso de participar em longas marchas (mais de uma hora), deverá usar um chapéu e óculos de protecção e ter uma reserva de água. Nunca se afaste do grupo, sobretudo, se estiver na floresta.

São frequentes os controlos de identidade. Deverá, por isso, ter sempre consigo os seus documentos de identidade e o visto (os originais ou cópias autenticadas).

Fronteira Norte com a República Centro-Africana  (RCA): A situação da RCA mantém-se explosiva. O país e as suas fronteiras não estão controlados pela forças de segurança da RCA. Por isso, não é aconselhável deslocar-se ou fixar-se a menos de 50 quilómetros entre o Congo e a RCA. Elementos da rebelião e/ou delinquentes causam insegurança na zona fronteiriça.

Registam-se combates esporádicos na região do Pool e a Leste de Bouenza.

Departamento do Pool: Realizam-se operações de segurança em certas regiões do Departamento do Poo, devido a uma série de ataques que causaram vítimas de civis e de agentes de ordem. Evite deslocações de carro ou de comboio entre Brazzaville e Ponta-Negra pois foram assinalados casos de intimidação e de detenção nesse trajecto.

Criminalidade: Devido à recessão prolongada e ao afluxo de armas no país constatam-se numerosos actos criminosos: registam-se frequentes roubos com agressão ou por esticão. Os recursos policiais locais são limitados e de reacção lenta. Em caso de agressão, os recursos jurídicos são limitados. Deverá ser cauteloso com os seus bens e os seus documentos de viagem. Evite exibir objectos de luxo e não circule sozinho à noite.

Em Ponta-Negra a taxa de criminalidade é mais elevada do que em Brazzaville. A zona do porto deverá ser evitada, tanto de dia como de noite, devido à presença de numerosos grupos de delinquentes.

 

 

Transportes na República do Congo

Segurança rodoviária

Excepto a estrada nacional nº2, que liga Brazzaville à cidade de Oyo a maioria das estradas é de terra batida. As deslocações por via terrestre no exterior das principais cidades, devem fazer-se apenas durante o dia e em colunas de veículos de quatro rodas motrizes. Caso decida deslocar-se até à região do Pool, convém solicitar informações sobre questões da segurança actual no departamento das Nações Unidas em Kinshasa (na vizinha República Democrática do Congo).

 

Existem em todo o país bloqueios nas estradas mal assinalados e vigiados por soldados armados e indisciplinados. As forças de ordem podem deter os estrangeiros e/ou extorqui-lhes dinheiro ou bens. O código da estrada não é respeitado. Aconselha-se, se optar por uma estrada fora das grandes cidades, a estar acompanhado por um guia seguro  ou por um Congolês. Em caso de acidente, com consequências físicas, não deverá manter-se no lugar, mas sim de se deslocar à esquadra da polícia mais próxima para evitar possíveis agressões por parte dos locais.

 

 

Transporte ferroviário

O transporte ferroviário não é aconselhável, porque, durante o caminho, constatam-se frequentemente casos de extorsão pelas próprias forças de ordem e numerosos roubos por criminosos. Abstenha-se de apanhar o comboio que liga Ponta-Negra a Brazzaville, frequentemente assaltado pelos rebeldes. O serviço ferroviário é esporádico e foram assinalados numerosos acidentes graves nos últimos anos que apontam para falta de respeito pelas normas de segurança técnica.

 

Transporte aéreo

As deslocações entre Brazzaville e Ponta-Negra devem fazer-se de avião. Apesar de haver voos diários que ligam Brazzaville a Ponta-Negra as ligações aéreas para outras cidades como Impfondo são irregulares. Os horários de partida são raramente respeitados.

 

 

Cuidados de saúde na República do Congo

Vacinas

  • É obrigatória a vacina contra a febre amarela
  • Necessárias as vacina contra a febre tifóide
  • Necessárias as vacina contra a Hepatite A e B
  • Necessária a vacina contra a meningite
  • Necessária a vacina contra o tétano
  • Aconselhável a vacina contra a raiva

Serviços e estabelecimentos de saúde

Os serviços médicos são rudimentares. Traga na sua bagagem uma caixa de primeiros socorros e de medicamentos para a viagem.

  • A água da torneira não é potável; se for ao restaurante opte por beber água das garrafas, abertas na sua frente
  • Evite o uso do gelo, o sumo de fruta fresca, legumes crus e fruta por descascar
  • Evite o consumo de alimentos (peixe, carne) que não estejam bem cozidos
  • Dado o risco de contaminação, abstenha-se de consumir toda a carne de caça
  • Evite tomar banho nos rios ou nos lagos (riscos de infecções parasitárias)
  • Evite nadar descalço em terrenos húmidos
  • Não consuma medicamentos comprados na rua

 

Centros de Saúde na RC.

Em Brazzaville:

  • ClínicaPasteur,88, rue Djambala à Moungali

Dr Landry SOSSOUMIHEN, Médecin urgentiste

Tél. : +242 05 749 48 56

Clinique : + 242 06 990 63 77

  • Associação Saúde e Solidariedade

perto de Hôtel du Boulevard

Dr Hugues SAULNIER, Médico generalista

Tél. : + 242 05 527 41 44

  • CHU de Brazzaville

Ministério da Saúde

Avenue Lyautey Centre-ville

Mr OVOULAKA, Director Geral

Tél. : + 242 06 800 97 30

Ou : + 242 05 566 13 55

Pr MAKOSSO, Radiologia

Tél. : + 242 05 521 97 28

Pr. Elira DOKEKIAS,

Director Gera dos hospitais especializado em Ebola /Epidemias

Tél. : + 242 06 631 94 52

Ou : + 242 05 551 21 85

Em Ponta-Negra:

  • Clínica Guénin

Mr Maxime GUENIN

Director : +242 05 575 67 73

Dr AZARIAN, Director Médico

Tél. : +242 05 535 75 28

 

 

Comunicações na República do Congo

As comunicações entre a República do Congo e o estrangeiro são precárias. Até no interior do país, o telefone fixo funciona raramente. As redes do telefone celular funcionam quase sempre, embora haja alguns cortes. A internet é aleatória e lenta.

 

 

Informações úteis

Na República do Congo, os vistos Shcengen e de curta duração para Portugal são emitidos na Secção Consular da Embaixada de França, cuja direcção é:

Rue Alfassa - BP 2089 - Brazzaville

Tel.(242) 06 511 8800

Ou descarregar o formulário de visto nesta direcção nesta direcção electrónica:

https://cg.ambafrance.org/comment-obtenir-un-formulaire-de

 

Representações Diplomáticas da RC

1. Na República do Congo

Consulado Honorário de Portugal em Brazzaville

  • Rue Mongo n.º 4, Poto-Poto (Centre Ville)

BP 2371

Brazzaville

Congo (Republic)

Consul Honorária Dra Madalena da Silva Morais

e@mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

telefone: (+242) 055 560 393

Consulado Honorário de Portugal em Ponta-Negra

Senhor José Serra Morais

Tel. (+242) 055 531 216

EMAIL Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Av Moet Vangoula, no 26

B.P. 1196

Pointe-Noire

Congo, République

Tel. (+242) 05 553 12 16

Embaixada de França em Brazzaville

Rue Alfassa

BP 2089, Brazzaville

CONGO

  • http://www.ambafrance-cg.org

e-mail:

  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
  • Formulaire de contact

Telefones

+242 (05) 361 24 07

+242 (05) 361 24 09

+242 (05) 361 24 06

+242 (05) 361 24 08

A Embaixada de Portugal em Kinshasa na República Democrática do Congo (RDC) tem a jurisdição consular da República do Congo. Os seus contactos são:

Embaixada de Portugal

Avenue des Aviateurs, 270

Commune de la Gombe - Kinshasa

telefone . +243 815 161 278

telemóvel +243 815 426-821

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Horas de expediente:

Das 9 às 13 horas

Das 14 às 17 horas

Representações Diplomáticas da RC

2. Em Portugal

Os contactos do Cônsul Honorário da República do Congo em Portugal

R. Torcato José Clavine, nº13 - Piso 1 - Dto.

2800-710 Almada

Portugal

Tel: (+351) 212748656

Fax: (+351) 212748664

Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

http://consuladocongobrazzaville.org/pt/Contate-nos/

Horário da Chancelaria

9h30-13h00

 

Antes de marcar qualquer viagem de férias não deixe de conferir as informações e alertas mais recentes sobre cada país / destino, no Portal das comunidades portuguesas.
COVID-19 - Viagens ao estrangeiro e deslocações e a Portugal

Mantenha-se a par das últimas noticias aqui!

Mais Informao

 

Antes da partida:

1. Verifique se dispõe de passaporte válido. Alguns países exigem um prazo de validade que poderá ir até 6 meses após a conclusão da viagem e outros não aceitam passaportes temporários, se possível deixe a familiares fotocópia do passaporte e do contacto do hotel onde ficará instalado. Verifique também se os seus cartões de crédito/débito são aceites no país de destino;

2. Adquira atempadamente o bilhete e garanta as condições e os meios necessários para a viagem. Assegure-se de que dispõe dos meios suficientes para a sua permanência no país e para regressar, no caso de o seu bilhete de regresso perder a validade;

3. Verifique, junto do seu agente de viagens ou nas Embaixadas e Consulados, se necessita de um visto para entrar no país de destino. Em caso afirmativo, não parta sem obter o visto;

4. Informe-se sobre quaisquer acordos de assistência médica que possam existir com os países do seu destino;

5. Obtenha o seu Cartão Europeu de Seguro de Doença - CESD, caso se desloque para um país da União Europeia. Informe-se nos serviços ou no site da Segurança Social ou do seu subsistema de saúde;

6. Informe-se, com antecedência, quanto à necessidade de cuidados de saúde especiais (vacinas ou precauções especiais). Aconselha-se a realização de uma Consulta do Viajante (atentos a que alguns países exigem a apresentação do certificado internacional de vacinação contra a febre amarela).

Nesta consulta é informado sobre medidas preventivas (ou curativas) a adotar antes, durante e depois da viagem, em função do destino, da viagem e de quem viaja. Esta consulta é extremamente importante para todos os viajantes, em particular para grávidas, crianças, idosos e indivíduos com doenças crónicas.

Esta consulta inclui vacinação ou toma preventiva de medicação contra múltiplas doenças de risco baixo ou inexistente em Portugal, informação sobre higiene individual e cuidados a ter com a água e os alimentos que se ingerem, aconselhamento e prescrição da farmácia do viajante que pode ou deve levar consigo e informação sobre assistência médica e riscos nos destinos para que viaje.

A consulta do viajante deve ser marcada um a dois meses antes da realização da viagem. O paciente deve levar consigo o seu documento de identificação (com número de utente de serviço de saúde), o boletim individual de saúde/vacinas e o certificado internacional de vacinação (caso já tenha).

As consultas do viajante e os centros de vacinação internacional encontram-se disponíveis em todo o país. Pode localizar o mais próximo da sua área de residência no site do Serviço Nacional de Saúde.

Em complemento à informação aqui disponibilizada, recomenda-se a consulta dos portais da União Europeia (UE), com recomendações para quem se prepara para viajar no Espaço Europeu, e da Direção-Geral da Saúde.

7. Faça um seguro de viagem que inclua, preferencialmente, assistência médica, roubo, furto e despesas de repatriação. Verifique as condições contratuais e os dados mais importantes: idade e limites territoriais, notificação de queixas e prazos de validade;

8. Informe algum familiar ou amigo da data de partida e da previsível hora de chegada. Indique o país ou países de destino, moradas e números de telefone de contacto.

9. Se vai viajar para países com condições de segurança precárias, procure obter o máximo de informação possível antes da sua partida e informe a(s) Embaixada(s) e/ou o(s) Consulado(s) de Portugal do país ou países que pretende visitar, da data de inicio da viagem, dos locais onde irá permanecer e dos respectivos contactos telefónicos;

10. Registe-se na aplicação móvel gratuita “Registo Viajante”, disponível para dispositivos Android e IOS, permitindo ser imediatamente localizado e contactado em caso de emergência, como catástrofes naturais, acidentes ou atentados. Pode igualmente registar-se no Formulário Registo Viajante.

 

 

No destino:

1. A fim de evitar o extravio da documentação, é aconselhável o depósito dos originais e dos bilhetes de viagem nos cofres do hotel. É suficiente, na maior parte dos países, a exibição de fotocópia dos documentos, autenticada com selo a óleo do hotel;

2. Qualquer que seja o país de destino, deverá evitar a exibição de joias e objetos de valor. Os pequenos furtos são uma constante e toda a precaução é recomendável;

3. Evite frequentar ruas mal iluminadas de noite e não resista a uma tentativa de roubo violento;

4. Não transporte malas ou embrulhos que não lhe pertençam e mantenha sempre sob vigilância a sua bagagem;

5. Não conduza veículos de outras pessoas através de fronteiras;

6. Recuse e evite qualquer tipo de contacto, manipulação ou consumo de drogas. Poderá enfrentar, consoante a lei de cada país, multas pesadas, longas penas de prisão em condições difíceis, ou mesmo a pena de morte;

7. Nos países muçulmanos e orientais, o viajante irá deparar-se com culturas muito diferentes da ocidental, devendo observar as regulamentações locais relativas ao vestuário e formas de comportamento. O consumo de drogas e de bebidas alcoólicas é geralmente punido com pesadas penas de prisão.

8. Tenha também sempre presente que as suas atitudes poderão beneficiar ou prejudicar a imagem de Portugal.

Nota importante

As presentes informações não têm natureza vinculativa, funcionando apenas como indicações e conselhos, e são suscetíveis de alteração a qualquer momento.

Mais Informao