Sobre Timor Leste

Litoral de Dili

Timor-Leste ocupa uma área de aproximadamente 14.609 km² na metade oriental da ilha de Timor situada a norte da Austrália, no extremo do Sudeste Asiático.

Fazem parte do território o enclave de Oecússi, situado na parte ocidental de Timor, a ilha de Ataúro, situada a 30 km a norte de Díli, e o ilhéu de Jaco, na extremidade leste da ilha de Timor.

Timor-Leste possui uma população de cerca de 1,21 milhões habitantes, 51% dos quais pertencentes ao sexo masculino. A densidade populacional ronda os 82 habitantes/km² e a média é de cinco indivíduos por agregado familiar.

A principal fonte de rendimento do país provém da exploração de hidrocarbonetos.

O país encontra-se dividido em 12 grandes regiões administrativas (municípios) e a Zona Especial de Economia de Mercado Social (ZEEMS) de Oecússi. A capital, Díli, situa-se na costa norte da ilha. Baucau, situada a leste da capital, é o segundo maior aglomerado urbano.

 

 

O Clima em Timor Leste

O clima é quente e húmido, com a temperatura média a oscilar entre os 19ºC e os 30ºC. A estação seca é entre maio e setembro e a época das chuvas ocorre habitualmente entre os meses de outubro e abril.

Timor-Leste pertence ao fuso horário GMT + 8 horas (verão) ou + 9 horas (inverno).

 

 

Língua

As línguas oficiais do país são o Português e o Tétum.

Moeda local / sistema bancário

A moeda local é o dólar norte-americano (USD).

A rede de terminais de pagamento auto/ático tem vindo a aumentar, principalmente em Díli, onde existem atualmente 80 terminais de pagamento automático (TPA/POS), instalados em variados estabelecimentos comerciais onde já é possível fazer pagamentos em POS/TPA. Por outro lado, todos os municípios de Timor-Leste, à exceção de Same, dispõem de, pelo menos, uma máquina multibanco (ATM). Em Díli, existem 23 ATMs.

Chama-se, no entanto, a atenção para o facto de não serem aceites cartões da rede Mastercard nem para pagamentos, nem para levantamentos.

 

 

Regime de entrada e estada em Timor Leste

Vistos

Os titulares de passaporte português os titulares de passaporte português e da União Europeia, à exceção do Reino Unido, Irlanda, Islândia e Liechtenstein, não necessitam de visto para entrar em Timor-Leste, desde que a permanência em território timorense não exceda o limite máximo de 90 dias por semestre e desde que a validade do respetivo passaporte seja superior ou igual a 180 dias a contar da data em que entram em território timorense. À chegada ao aeroporto internacional de Díli, ser-lhes-á concedida uma autorização de permanência por 90 dias.

A fim de prorrogar a permanência até ao limite máximo de 90 dias, é necessário solicitar um visto de turismo, mediante o pagamento de uma taxa de 35 dólares norte-americanos. Para este efeito, os interessados deverão dirigir-se ao Departamento de Emissão de Vistos da Direcção Geral do Serviço de Migração, junto ao edifício do Ministério da Defesa e Segurança (bairro de Vila Verde).

Para estadas relativas a períodos superiores a 90 dias, devem os interessados requerer outro tipo de visto, tal como o visto de trabalho, visto de fixação de residência, de estudante etc. ou no âmbito de programas de cooperação entre Estados, a Autorização de Estada Especial.

De acordo com a legislação vigente no país, os estrangeiros residentes, que tenham alterado o estado civil, a profissão, o domicílio ou a nacionalidade em Timor-Leste, devem comunicar esse facto ao Departamento de Migração, no prazo de 60 dias.

A entrada de produtos alimentares, plantas, sementes e animais em Timor-Leste deverá ser prévia e expressamente coordenada com a Embaixada de Timor-Leste em Lisboa.

As regras que presidem ao regime de entrada e saída dos países vizinhos, Indonésia, Austrália e Singapura, e cuja leitura é vivamente recomendada, estão indicadas na rúbrica “Conselhos aos Viajantes” do Portal das Comunidades Portuguesas (https://www.portaldascomunidades.mne.pt/pt/conselhos-aos-viajantes).

 

 

Condições de segurança em Timor Leste

Estáveis. A situação de segurança no país é calma e estável, não havendo indícios que apontem para uma alteração significativa a curto prazo.

Os cidadãos portugueses que desejem permanecer em território timorense deverão abster-se de participar em qualquer atividade que revista, direta ou indiretamente, natureza política.

Apesar dos índices de criminalidade serem baixos, recomenda-se especial prudência com bens pessoais – carteiras, computadores, telemóveis, máquinas fotográficas -, prevenindo-se contra eventuais delinquentes que atuam em locais isolados e praias. Por vezes, verificam-se roubos praticados por esticão.

O mar de Timor-Leste não apresenta grande ondulação. Contudo, por vezes, verificam-se fortes correntes marítimas, para além de existirem crocodilos de água salgada, com especial incidência na costa sul.

Outras informações importantes

À chegada a Díli, os viajantes devem apresentar-se e inscrever-se na Secção Consular da Embaixada de Portugal. Recomenda-se aos viajantes que, durante a sua estadia, se façam acompanhar preferencialmente de cópia do passaporte, devendo os originais dos documentos de identificação ficar guardados em lugar seguro.

Números de telefone de Emergência

Polícia: 112 (Geral) ou (00670) 3331100 (Polícia Nacional de Timor-Leste, PNTL - Operações de Díli)

 

 

Transportes em Timor Leste

Transporte aéreo

O principal ponto de entrada no país faz-se por Díli, através do Aeroporto Internacional Nicolau Lobato.

Timor-Leste tem ligações por via aérea com os seguintes países:

Indonésia: Um voo diário de e para a Ilha de Bali (Denpansar).

Austrália: Dois voos para Darwin, à segunda-feira e à quarta-feira. Nos restantes dias, existe um voo diário.

Singapura: Um voo por semana, ao sábado.

 Voos domésticos: A nível doméstico, é assegurado, desde dezembro de 2015, um voo diário entre Díli e a Zona Especial de Economia de Mercado Social de Oecússi, excetuando ao domingo.

Também são assegurados voos diários, a partir de Díli, para a região do Suai (sudoeste do país, perto da fronteira com o Timor indonésio). Existem voos de ida e volta de segunda-feira a sábado.

 

 

Transporte Marítimo

Existem três empresas que efetuam travessias entre Díli e a ilha de Ataúro e entre a capital e o enclave de Oecússi.

Nakroma Ferry:

Díli – Oecússi: segunda-feira e quinta-feira

Oecússi – Díli: terça-feira e sexta-feira

Dili – Ataúro e Ataúro – Díli: sábado

Preço do bilhete: Díli – Oecússi: USD 8,00; Oecússi – Díli: USD 8,00// Díli – Ataúro: USD 4,00 USD; Ataúro – Dili – USD 4,00.

2) Dragon Star Ferry

Díli – Ataúro – Díli: segunda-feira, terça-feira, sexta-feira, sábado e domingo

Hora de embarque: partida para Ataúro às 8:00h e regresso a Díli às 15h00.

Preço de bilhete: económico: USD 13,00; Turista: USD 15,00 e VIP: USD 20,00.

3) Laju Laju Ferry

Oecússi: terça-feira e sexta-feira

Ataúro: quinta-feira

 

 

Transporte rodoviário

Em Timor-Leste, as viaturas circulam com o volante à direita, pelo que as regras de condução obedecem à forma como se conduz em países como o Reino Unido (entre outros países).

As infraestruturas rodoviárias são precárias, pelo que as ligações por estrada são demoradas.

A rede viária está em recuperação, podendo apresentar alguma degradação. Aconselha-se o recurso a viaturas de todo o terreno para deslocações fora das principais localidades e, sempre que possível, aconselha-se a que as deslocações sejam feitas em caravana. Também a ausência de uma boa sinalização afeta as condições de condução. Por outro lado, as deslocações fora das localidades são desaconselhadas na ausência de luz natural.

As ligações entre os municípios são feitas por pequenos autocarros, a que se dá o nome de “Angunas”, que operam diariamente para todos os municípios. As condições da estrada desaconselham, no entanto, este tipo de transporte.

 

Segurança rodoviária

A circulação e condução devem ser feitas com especial prudência uma vez que, e tendo em conta que é um país eminentemente rural e de pastorícia, os animais circulam livremente nas estradas, e atravessam-nas dispersa e pontualmente. Existe, também, um elevado número de veículos de duas rodas, e muita circulação pedonal, que exigem cuidados redobrados.

Recomenda-se, sempre que possível, a contratação de um motorista de nacionalidade timorense, que nas deslocações aos municípios poderá também servir de intérprete nos contactos com as populações locais que não falem português.

 

 

 

Cuidados de saúde em Timor Leste

Antes da partida, deve efetuar uma consulta de aconselhamento a viajantes no Instituto de Higiene e Medicina Tropical. Aconselha-se a vacinação contra a febre tifoide, hepatites A e B e encefalite japonesa, bem como a toma de medicamentos antipalúdicos.

A prestação de cuidados de saúde em Timor-Leste é limitada, aconselhando-se vivamente antes da partida a aquisição de um seguro de viagem e de saúde, que preveja um cenário de evacuação por motivos de emergência médica.

A malária, o dengue e a encefalite japonesa são provocados pela picada de mosquitos. Aconselha-se o uso de roupa comprida ou de repelente nas partes do corpo que ficam expostas. Dever-se-á dormir com uma rede anti-mosquito à volta da cama e espalhar inseticida no quarto de dormir cerca de duas horas antes de se deitar.

Se tiver febre, não deve tomar medicamentos à base de aspirina em Timor-Leste, a não ser por receita médica, devido à ocorrência de febres hemorrágicas como o dengue.

Evite situações de desidratação, bebendo muita água e usando protetor solar com alto índice de proteção. Nunca beba água não engarrafada ou que não tenha sido fervida ou tratada, nem use gelo que não seja feito com base em água potável. Pela mesma razão, recomenda-se cuidado com o consumo de gelados.

Aconselha-se a comer alimentos bem cozinhados e fruta só descascada. Atendendo a que a sua dieta alimentar vai mudar significativamente, convirá ir introduzindo os novos alimentos de uma forma gradual.

Não se deve andar descalço nem nadar em rios, ribeiras ou lagoas, devido ao risco de transmissão de doenças. Deve-se evitar o contacto com animais domésticos (cães, gatos, porcos, aves ou outros), que dificilmente estarão vacinados, podendo, desta forma, ser transmissores de doenças.

Endereços dos principais Hospitais e Clínicas

Díli:

Hospital Nacional Guido Valadares.

Centro Nacional de Ambulâncias de Timor-Leste (00 670) 3311044. (Emergências): 110.

Clínica Stamford: (00 670) 3310141 / 3311209. Emergências: (00 670) 77721111.

Baucau:

Hospital Regional Eduardo Ximenes: (00 670) 78317661

Oecússi:

Hospital. (00 670) 2530027

 

 

Telecomunicações em Timor Leste

O indicativo internacional de Timor-Leste é o seguinte: (00) 670.

O serviço de telecomunicações fixas e móveis em Timor-Leste é assegurado por três operadoras: a Timor Telecom, a Telkomcel e a Telemor. A rede fixa e móvel cobre grande parte do país. Porém, há vários municípios onde só em alguns locais é que se consegue operar através do telefone fixo. À semelhança do que sucede com a rede fixa, também na rede móvel existem determinadas zonas em que não é possível obter ligação.

 

 

Informações úteis

Os crocodilos são, para a população timorense, animais sagrados, correspondendo à imagem dos seus antepassados, sendo para este povo objeto de especial respeito e consideração.

Atendendo ao facto de a maioria da população timorense ser católica praticante e de costumes conservadores, alerta-se para a necessidade de o comportamento dos viajantes ser adequado aos valores inerentes à fé professada pelos timorenses, procurando não ferir a sua suscetibilidade.

À passagem de cortejos fúnebres os viajantes devem tomar uma atitude formal de respeito, nomeadamente suster a marcha do veículo até à passagem do cortejo e descobrir a cabeça. A mesma atitude de deferência deverá ser tomada em relação aos locais de vigília fúnebre.

Endereços úteis 

Embaixada de Portugal em Díli

Endereço: Rua do Palácio do Governo

Telefone: (00670) 3312531

Endereço eletrónico: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

Antes de marcar qualquer viagem de férias não deixe de conferir as informações e alertas mais recentes sobre cada país / destino, no Portal das comunidades portuguesas.
COVID-19 - Viagens ao estrangeiro e deslocações e a Portugal

Mantenha-se a par das últimas noticias aqui!

Mais Informao

 

Antes da partida:

1. Verifique se dispõe de passaporte válido. Alguns países exigem um prazo de validade que poderá ir até 6 meses após a conclusão da viagem e outros não aceitam passaportes temporários, se possível deixe a familiares fotocópia do passaporte e do contacto do hotel onde ficará instalado. Verifique também se os seus cartões de crédito/débito são aceites no país de destino;

2. Adquira atempadamente o bilhete e garanta as condições e os meios necessários para a viagem. Assegure-se de que dispõe dos meios suficientes para a sua permanência no país e para regressar, no caso de o seu bilhete de regresso perder a validade;

3. Verifique, junto do seu agente de viagens ou nas Embaixadas e Consulados, se necessita de um visto para entrar no país de destino. Em caso afirmativo, não parta sem obter o visto;

4. Informe-se sobre quaisquer acordos de assistência médica que possam existir com os países do seu destino;

5. Obtenha o seu Cartão Europeu de Seguro de Doença - CESD, caso se desloque para um país da União Europeia. Informe-se nos serviços ou no site da Segurança Social ou do seu subsistema de saúde;

6. Informe-se, com antecedência, quanto à necessidade de cuidados de saúde especiais (vacinas ou precauções especiais). Aconselha-se a realização de uma Consulta do Viajante (atentos a que alguns países exigem a apresentação do certificado internacional de vacinação contra a febre amarela).

Nesta consulta é informado sobre medidas preventivas (ou curativas) a adotar antes, durante e depois da viagem, em função do destino, da viagem e de quem viaja. Esta consulta é extremamente importante para todos os viajantes, em particular para grávidas, crianças, idosos e indivíduos com doenças crónicas.

Esta consulta inclui vacinação ou toma preventiva de medicação contra múltiplas doenças de risco baixo ou inexistente em Portugal, informação sobre higiene individual e cuidados a ter com a água e os alimentos que se ingerem, aconselhamento e prescrição da farmácia do viajante que pode ou deve levar consigo e informação sobre assistência médica e riscos nos destinos para que viaje.

A consulta do viajante deve ser marcada um a dois meses antes da realização da viagem. O paciente deve levar consigo o seu documento de identificação (com número de utente de serviço de saúde), o boletim individual de saúde/vacinas e o certificado internacional de vacinação (caso já tenha).

As consultas do viajante e os centros de vacinação internacional encontram-se disponíveis em todo o país. Pode localizar o mais próximo da sua área de residência no site do Serviço Nacional de Saúde.

Em complemento à informação aqui disponibilizada, recomenda-se a consulta dos portais da União Europeia (UE), com recomendações para quem se prepara para viajar no Espaço Europeu, e da Direção-Geral da Saúde.

7. Faça um seguro de viagem que inclua, preferencialmente, assistência médica, roubo, furto e despesas de repatriação. Verifique as condições contratuais e os dados mais importantes: idade e limites territoriais, notificação de queixas e prazos de validade;

8. Informe algum familiar ou amigo da data de partida e da previsível hora de chegada. Indique o país ou países de destino, moradas e números de telefone de contacto.

9. Se vai viajar para países com condições de segurança precárias, procure obter o máximo de informação possível antes da sua partida e informe a(s) Embaixada(s) e/ou o(s) Consulado(s) de Portugal do país ou países que pretende visitar, da data de inicio da viagem, dos locais onde irá permanecer e dos respectivos contactos telefónicos;

10. Registe-se na aplicação móvel gratuita “Registo Viajante”, disponível para dispositivos Android e IOS, permitindo ser imediatamente localizado e contactado em caso de emergência, como catástrofes naturais, acidentes ou atentados. Pode igualmente registar-se no Formulário Registo Viajante.

 

 

No destino:

1. A fim de evitar o extravio da documentação, é aconselhável o depósito dos originais e dos bilhetes de viagem nos cofres do hotel. É suficiente, na maior parte dos países, a exibição de fotocópia dos documentos, autenticada com selo a óleo do hotel;

2. Qualquer que seja o país de destino, deverá evitar a exibição de joias e objetos de valor. Os pequenos furtos são uma constante e toda a precaução é recomendável;

3. Evite frequentar ruas mal iluminadas de noite e não resista a uma tentativa de roubo violento;

4. Não transporte malas ou embrulhos que não lhe pertençam e mantenha sempre sob vigilância a sua bagagem;

5. Não conduza veículos de outras pessoas através de fronteiras;

6. Recuse e evite qualquer tipo de contacto, manipulação ou consumo de drogas. Poderá enfrentar, consoante a lei de cada país, multas pesadas, longas penas de prisão em condições difíceis, ou mesmo a pena de morte;

7. Nos países muçulmanos e orientais, o viajante irá deparar-se com culturas muito diferentes da ocidental, devendo observar as regulamentações locais relativas ao vestuário e formas de comportamento. O consumo de drogas e de bebidas alcoólicas é geralmente punido com pesadas penas de prisão.

8. Tenha também sempre presente que as suas atitudes poderão beneficiar ou prejudicar a imagem de Portugal.

Nota importante

As presentes informações não têm natureza vinculativa, funcionando apenas como indicações e conselhos, e são suscetíveis de alteração a qualquer momento.

Mais Informao